Marta buscará o sexto troféu de melhor jogadora do mundo

Brasileira, que joga no Orlando Pride, dos Estados Unidos, foi escolhida pela Fifa como uma das 10 finalistas. É a sua 14ª indicação

Fernando Frazão/ Agência BrasilFernando Frazão/ Agência Brasil

atualizado 24/07/2018 13:41

A brasileira Marta foi indicada nesta terça-feira (24/7) pela Fifa ao prêmio de melhor jogadora do mundo. Atualmente no Orlando Pride, dos Estados Unidos, a camisa 10 do Brasil figura pela 14ª vez na lista das finalistas e tentará faturar seu sexto troféu.

A cerimônia de premiação será realizada em 24 de setembro, em Londres, e terá um nome diferente em relação aos dois últimos anos. Isso porque nem a vencedora de 2017, a holandesa Lieke Martens, nem a detentora do troféu de 2016, a norte-americana Carli Lloyd, estão entre as 10 melhores.

Uma das favoritas ao prêmio é a dinamarquesa Pernille Harder, que atua pelo Wolfsburg, da Alemanha. A atleta já venceu por duas vezes a disputa de melhor jogadora da Uefa, mas nunca levou o troféu da principal entidade do futebol.

O Lyon, equipe da França, domina a lista de nomes indicados com cinco jogadoras. O time é o atual detentor do título da Liga dos Campeões – bateu o Wolfsburg por 4 x 1 na disputa final. Da melhor equipe europeia na atualidade, foram selecionadas a norueguesa Ada Hegerberg, a japonesa Saki Kumagai, a alemã Dzsenifer Marozsan, além das francesas Amandine Henry e Wendie Renard.

Especialistas
A lista das selecionadas foi definida por especialistas designados pela Fifa. A votação para a escolha do melhor jogadora começará nesta terça-feira (24) e vai até 10 de agosto. Os torcedores podem votar pelo site da principal entidade do futebol.

Ainda haverá outros três grupos de votantes: jornalistas escolhidos pela Fifa, além dos técnicos das seleções e seus respectivos capitães. O período de avaliação das jogadoras começou no dia 7 de agosto de 2017 e se estendeu até 24 de maio de 2018, data em que foi realizada a final da Liga dos Campeões. A indicação das três finalistas será feita no início de setembro. (Com informações da Agência Estado)

Últimas notícias