Luz, câmera, ação! Relembre Pelé como ator, cantor e garoto-propaganda

Próximo de completar 80 anos - faz aniversário na próxima sexta-feira -, o Rei do Futebol brilhou além do gramado como artista completo

atualizado 20/10/2020 22:42

Moisés Dias/Metrópoles

Prestes a completar 80 anos de vida, Pelé tem sido homenageado de diversas formas, sobretudo com imagens históricas e gostosas de se ver. E ser protagonista nas telonas, telas ou telinhas jamais foi um terreno desconhecido para o Rei do Futebol. Estrela nos gramados, Edson Arantes do Nascimento também cansou de se aventurar como artista. Ainda como jogador, às vésperas, durante ou depois de Copas do Mundo, ele contracenou com atores consagrados, cantou com vocalistas de peso e também brilhou em cenas solo.

Os mais jovens irão lembrar da veia artística de Pelé com apenas três letras: ABC. Em 1998, ele foi escolhido como garoto-propaganda de uma campanha do Ministério da Educação e até hoje é lembrado com a performance como cantor de “ABC, toda criança tem que ler e escrever”.

A aventura de Pelé como cantor e compositor começa muito antes disso. Em 1969, um ano antes de se despedir de Copas do Mundo com o tricampeonato de 19170, ele tabelou fora de campo com Elis Regina. O Rei do Futebol compôs e cantou duas músicas com ela, no que ficou conhecido como Tabelinha – Pelé x Elis. Ele cantou, mesmo sem jeito, os “sucessos” Vexamão e  Perdão não tem vez.

A carreira musical de Pelé, no entanto, não parou na primeira dupla. Desde então, o ex-jogador gravou sucessos ao lado de Jair Rodrigues, Sergio Mendes e até outro Rei, o Roberto Carlos.

Oito anos depois de surpreender o mundo com o canto ao lado de Elis, Pelé estava ao lado de Roberto Carlos durante um especial de fim de ano da TV Globo. Além de bater um papo bem-humorado, no qual o cantor diz que foi difícil achar o jogador, eles tocam violão juntos e dividem o microfone com a música Meu Mundo é Uma Bola, de autoria de Pelé.

Novelas e filmes

Engana-se quem pensa que Pelé brilhou apenas no gramado e na música. O estrelato do Rei se estendeu também para as produções cinematográficas, publicitárias e até na teledramaturgia.

Pelé gravou ao todo 18 filmes que foram ao cinema. Entre os destaques dele como ator, está o Fuga para a Vitória, quando contracenou com Sylvester Stallone em Hollywood. A película de 1982 relata a vida de prisioneiros aliados que são internados em um campo de prisão nazista durante a Segunda Guerra Mundial. Há um jogo na carceragem e presos planejam fugir do local enquanto a partida ocorre.

O filme Os Trapalhões e o Rei do Futebol, que foi ao cinema em 1986, também está registrado como um marco na carreira de Pelé como ator. Além das aparições em ação e humor, ele também tem gravações em filme adultos. Pelé é lembrado até hoje por sua participação em Pedro Mico, de 1985. Tímido, ele teve de contracenar com a mulher do diretor do filme em cima da cama, embaixo dos lençóis.

Garoto-propaganda

A desenvoltura de Pelé em frente as câmeras rendeu a ele inúmeros trabalhos como garoto-propaganda. Sempre com o cuidado de não ter sua imagem aliada a marcas de bebidas e cigarros, o Rei do Futebol já foi protagonista de marcas de pilha, videogame, lojas de eletrodomésticos, entre outras.

0

Vídeos
Últimas notícias