Jacaré e Capital ficam no 2 a 2 em primeiro jogo das quartas de final

Brasiliense vencia até os acréscimos, quando os rivais arrancaram o empate. Próximo jogo será no domingo (31)

Igo Estrela/MetrópolesIgo Estrela/Metrópoles

atualizado 28/03/2019 13:29

O Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha recebeu, na chuvosa noite desta quarta-feira (27/3), um dos quatro confrontos das quartas de final do Candangão 2019. Brasiliense e Capital duelaram para mais de 3 mil pessoas e proporcionaram um jogo de emoções, com virada e gol no apagar das luzes.

Mesmo com o atraso de mais de meia hora para o início, as duas equipes fizeram uma partida disputada, com o Capital furando a defesa menos vazada da competição no primeiro tempo e vendo a reação do Jacaré na segunda etapa, que, com raça, conseguiu a virada. Mas, no final, a Coruja acabou conseguindo o gol do empate, em 2 x 2, que colocará, no jogo da volta, mais um tempero de emoção.

Com a vantagem de jogar por dois resultados iguais, o Jacaré poderá até empatar o jogo da volta, que ainda assim conquista a classificação para as semifinais da competição. O duelo será no Abadião, em Ceilândia, em virtude da interdição da Boca do Jacaré por conta de problemas nos laudos de segurança. A partida será no domingo (31), às 15h30.

O jogo
A chuva que desabou no estádio minutos antes do começo da partida não deu trégua e provocou o atraso de 31 minutos no início do confronto devido às más situações do gramado do Mané Garrincha, totalmente alagado.

O jogo começou com o solo ainda encharcado, e a partida foi disputada desde o início. Jogadas no meio-campo faziam as duas equipes explorarem o toque rápido para chegar ao ataque.

O Capital, logo aos 12 segundos, já chegou com perigo, quando Alysson Ferreira roubou a bola da defensiva e entrou na área, mas acabou sendo contido. O lance de perigo fez o Brasiliense criar jogadas e puxar ataques pelo meio campo, principalmente com Peninha, que criava espaços, mas não conseguia acertar na finalização.

Veja fotos do confronto:

Com mais liberdade, Morais e Maikon Leite exploravam as laterais. Uma dessas jogadas quase ocasionou o primeiro gol do Jacaré. Gilvan recebeu cruzamento na primeira trave, mas finalizou para fora.

Querendo igualar a posse de bola, o Capital arriscava jogadas na entrada da área do goleiro Edmar Sucuri, aproveitando as poças de água para tentar enganar a defesa do esquadrão amarelo. E foi assim que o primeiro gol acabou saindo, no final da primeira etapa, aos 43 minutos, com Alysson Ferreira. Ele aproveitou o desvio na marcação e mandou para o fundo da rede: Capital 1 a 0.

Duelo emocionante e gol nos acréscimos
Voltando com as mesmas equipes, os dois treinadores tiveram a oportunidade de assistir a um início de segunda etapa equilibrado mais uma vez. O Brasiliense, com a qualidade ofensiva, tentava o empate e quase conseguiu, aos 9 minutos, com Morais, que finalizou de meio voleio, para grande defesa do goleiro Ricardo Luiz.

Ainda no início do segundo tempo, o técnico Adelson de Almeida fez as primeiras mudanças na equipe, colocando Vítor Mariano e Romarinho nos lugares de Gilvan e Peninha, respectivamente. A alteração deu velocidade ao time, que quase fez o gol de empate. Aos 16 minutos, em uma virada de jogo de Maikon Leite, Romarinho bateu sem jeito, fazendo o arqueiro da Coruja realizar grande defesa em dois lances.

Com a insistência das jogadas pelas pontas, o gol saiu cinco minutos depois. Maikon Leite cruzou a bola para Vitor Mariano, que cabeceou forte. Ricardo Luiz cedeu rebote e Romarinho mandou para a rede: 1 a 1.

O gol marcado empolgou o Jacaré, que continuava chegando com perigo. A defesa adversária, desesperada, fazia muitas faltas na entrada da área. Insistindo nos cruzamentos na área, o gol da virada saiu com uma batida que surpreendeu todo mundo, aos 29 minutos. Alex Murici, da intermediária, colocou a bola no ângulo de Ricardo Luiz.

A vantagem deu mais ânimo para o Jacaré. Com o apoio da torcida, a equipe segurava a posse de bola, esperando o tempo passar.

A partida chegou à reta final e a arbitragem deu cinco minutos de acréscimo. No apagar das luzes, o Capital teve o último lance a seu favor e acabou empatando, após escanteio batido por Mateus Rogério na cabeça de Lacerda, que aproveitou falha da marcação amarela e mandou para o fundo da rede, fechando o resultado no Mané em 2 a 2.

CAPITAL
Ricardo Luiz; Vinícius (Luan), Medeiros, Daniel Felipe e Romarinho; Ives, Yan e Matheus Rogério; Anjinho (Paulinho), Alysson Ferreira e Sandy (Lacerda).
Técnico: Waldemar Lemos

BRASILIENSE
Edmar Sucuri; Alex Murici, Lúcio, Badhiuga e Gleissinho; Geovane, Emerson Martins, Peninha (Romarinho) e Morais (Aldo); Maikon Leite e Gilvan (Vítor Mariano).
Técnico: Adelson de Almeida

Gols: Alysson Ferreira (43’/1T); Romarinho (22’/2T), Alex Murici (28’/2T) e Lacerda (48’/2T)
Cartões amarelos: Matheus Rogério, Medeiros; Geovane
Estádio: Mané Garrincha
Público: 3.127 pagantes
Renda: R$ 5.762
Árbitro: Gildevan Lacerda

Últimas notícias