Gareth Bale: (mais) um galáctico que não vingou?

Lesões, problemas de adaptação e problemas com Zidane impediram galês de cumprir as altas expectativas impostas pelo Real Madrid

atualizado 24/04/2020 21:08

Quality Sport Images/Getty Images

Quando Gareth Bale foi contratado pelo Real Madrid em 2013, o galês chegou ao clube merengue com banca de estrela e com o título de jogador mais caro do mundo. Foram 100 milhões de euros depositados na conta do Tottenham, mais do que o próprio Real pagou por Cristiano Ronaldo e Zinedine Zidane.

Seis temporadas e meia depois, Bale vem enfrentando dificuldades para ser escalado como titular no time do técnico Zidane, teve seu valor de mercado reduzido de 100 milhões de euros para 32 milhões (segundo dados do Transfermarkt) e tem seu nome especulado em transferências para mercados menores como China e Estados Unidos. O que aconteceu?

Primeiramente, é complicado definir a passagem de Bale pelo Real Madrid como um fracasso. Afinal, não faltaram títulos – incluindo um tetracampeonato da Champions League -, e gols – 80 em 179 jogos, incluindo três em finais de Champions League e algumas pinturas – em sua passagem pela Espanha.

No entanto, para um jogador que deixou a Premier League como seu melhor jogador, foi contratado por um preço exorbitante com o objetivo de ser o sucessor de Cristiano Ronaldo, Bale definitivamente não cumpriu as expectativas.

Para começar, o galês foi atrapalhado por uma grande quantidade de lesões, que o fizeram perder diversos jogos, o impediram de ganhar ritmo e, consequente, perder seu espaço devido à ascensão de jovens como Isco e Ascensio.

Além disso, há relatos de que Bale não se adaptou bem ao estilo de vida espanhol e não seria um jogador focado. Em seis anos e meio em Madri, conta-se que o galês ainda não aprendeu a língua local e joga golfe demais. O jogador também não tem boa relação com Zidane. O técnico já declarou em múltiplas ocasiões que o camisa 11 não está nos seus planos e o utiliza apenas esporadicamente.

Incoerência

Se Bale está longe de ser uma vítima, ele também não pode ser considerado o único culpado de sua passagem pelo Real Madrid não ter sido tão estrelada. O próprio clube pode ter cometido um erro de avaliação desde a sua contratação.

Bale brilhou na Premier League jogando pela faixa esquerda do campo, mesma posição de Cristiano Ronaldo, que reinava absoluto no clube. A projeção de que o rendimento do português eventualmente cairia também não se concretizou, fazendo um atleta de 100 milhões ser deslocado para uma posição na qual não renderia seu máximo.

Com 30 anos, o galês ainda tem muita bola para jogar. Apesar de não ter sido excelente com a frequência desejada pelos torcedores merengues, mostrou flashes do que é capaz de fazer. Com a China, EUA e um possível retorno para a Premier League no horizonte, sua recuperação deverá acontecer longe do Santiago Bernabéu.

Vídeos
Últimas notícias