Gandula do Santos na Libertadores, torcedor ficará fora do Maracanã à espera da bola do título

Após assistir e contribuir com as classificações nas oitavas, quartas e semifinais, Jhonatan saiu de Santos para torcer pelo time no Rio

atualizado 29/01/2021 19:46

Torcedores do Santos no MaracanãRoberto Wagner/Metrópoles

Rio de Janeiro – No dia 1º de dezembro de 2020, Jhonatan Eduardo, de 23 anos, assumiu um compromisso inflexível com o Santos. Ele tem sido gandula do Peixe desde as oitavas de final da Copa Libertadores e não pretende quebrar a corrente na decisão. Fora da relação de profissionais para o duelo deste sábado (30/1) contra o Palmeiras – o mando de campo da final única é da Conmebol -, ele decidiu ir ao Rio de Janeiro e ficar o mais próximo possível do Estádio Maracanã, à espera da bola do tetracampeonato santista.

Depois de assistir e contribuir com as classificações nas oitavas, quartas e semifinais, Jhonatan percorreu os pouco mais de 500km de Santos ao Rio para gritar campeão de perto. “Não vim para trabalhar desta vez, mas estarei do lado de fora passando toda a energia positiva e tentar transmitir a sorte que estou tendo nas fases anteriores para ganhar esse título”, afirma Jhonatan.

Nesta sexta-feira (29/1), ele foi ao Maracanã ao lado de amigos santistas do Rio para sentir o gostinho do estádio da final. Conseguiu chegar bem próximo, algo que pode não se repetir no sábado.

Ação contra aglomeração

A Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro farão uma força-tarefa para evitar aglomerações às margens da arena. São esperados 500 agentes de segurança no local.

O público está vetado para a decisão devido à pandemia do novo coronavírus. Um decreto publicado pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro determinou que apenas pessoas credenciadas pela Conmebol poderão acompanhar o jogo in loco. Além disso, o texto determina o limite de até 10% da capacidade do estádio – cerca de 7 mil pessoas.

Exames negativos e distanciamento

Todos os credenciados para trabalhar durante a final da Copa Libertadores precisaram apresentar exames tipo RT-PCR negativo para Covid-19. Além disso, a organização tem realizado protocolo rígido de distanciamento entre os trabalhadores, aferição de temperatura e distribuiu kits com álcool em gel.

Vídeos
Mais lidas
Últimas notícias