CBF libera e Atlético-GO pode escalar atletas com Covid-19 contra Flamengo

Entenda porquê a entidade liberou jogadores que testaram positivo após o clube argumentos que eles não são mais transmissores da doença

atualizado 12/08/2020 10:03

Mancini Atlético-GOReprodução/Twitter @ACGOficial

O Atlético-GO conseguiu o aval da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para escalar quatro jogadores que tiveram resultados positivos no teste de coronavírus na partida contra o Flamengo, nesta quarta-feira (12/8), às 20h30 pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro, no Estádio Olímpico. O clube alegou que os atletas já haviam sido contaminados anteriormente e não são mais transmissores da Covid-19.

O secretário-geral da CBF, Walter Feldman, divulgou no início da noite desta terça-feira (11/8) que quatro jogadores do Atlético-GO haviam tido testes positivos. O clube do Centro-Oeste fez uma contraprova visando ter o quarteto no confronto deste meio de semana.

De acordo com o Atlético-GO, não seriam casos ativos. Eles estariam na fase final da contaminação, com o vírus no organismo, mas sem o risco de infectar outras pessoas.

Entenda a liberação

De acordo com a reportagem do UOL, este recurso é uma atualização da diretriz médica da CBF para o Brasileirão, que será publicada nesta quarta. Trata-se de uma nova diretriz baseada em um estudo do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), reconhecido pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Os especialistas chegaram à conclusão de quem uma pessoa que testa positivo para a Covid-19 em exame realizado há mais de 10 dias, e não apresenta sintomas, não está transmitindo o vírus, mesmo que refaça o teste e o resultado dê reagente.

“Não foi a CBF que sentou e inventou isso. Estamos nos pautando por estudos das entidades mais sérias do mundo. A OMS reconhece isso, bem como o Ministério da Saúde”, alegou o chefe médico da entidade, Jorge Pagura.

“A informação que temos é segura e nos aponta isso: PCR positivo há mais de 10 dias não transmite. Tem gente que fica com PCR positivo cinco semanas, oito semanas, 10, 12 semanas. Mas não transmite. Por isso há a liberação”, explicou Pagura.

O fato de não apresentar sintomas — tossir, espirrar e expelir secreções — faz com que os pacientes assintomáticos transmitam menos a infecção, mas isso não elimina a possibilidade de ela ocorrer. “Uma coisa interessante é que o indivíduo sem sintomas transmite menos vírus porque, na verdade, ele está eliminando menos”, explicou ao Metrópoles Natasha Slhessarenko, médica patologista do Laboratório Exame.

Enquanto o Flamengo fará o segundo jogo na competição nacional, após perder, no Maracanã, para o Atlético-MG (1 x 0), o Atlético-GO terá sua estreia no campeonato, pois o jogo com o Corinthians, previsto para o fim de semana, foi adiado por causa da equipe paulista ter disputado a final do estadual.

*Com informações da Agência Estado

Vídeos
Últimas notícias