Coronavírus: times e atletas exibem humanidade contra crise

Seja com vaquinhas, fundos coletivos ou cessão de estruturas para cuidados, mundo dos esportes faz sua parte para combater a Covid-19

atualizado 20/03/2020 8:25

Al Bello/Getty Images

Sempre que uma calamidade de grandes proporções atinge o mundo, a humanidade é testada em sua civilidade. Com o coronavírus, é claro, não seria diferente. Embora estejam acontecendo muitos episódios de egoísmo, disseminação de informações falsas e histeria, é possível ver também gestos nobres e de gentileza em todas as partes do mundo. E o mundo dos esportes tem feito a sua parte.

A NBA, por exemplo, foi uma das primeiras ligas a suspender suas atividades depois que um de seus jogadores foi diagnosticado com a Covid-19. Embora a resposta rápida, com certeza, ajudou a impedir que o vírus se disseminasse ainda mais, a ação também retirou a fonte de renda de milhares de funcionários que trabalhavam nas arenas em dias de jogos.

Pensando nisso, os jogadores tiveram a iniciativa de cobrir o salário desses trabalhadores. Kevin Love, do Cleveland Cavaliers, foi o primeiro. O ala-pivô doou cerca de US$ 100 mil para os funcionários da Rocket Mortgage Fieldhouse. Depois dele vieram as estrelas Blake Griffin, Giannis Antetokoumnpo, Mark Cuban, dono do Dallas Mavericks, e até o calouro Zion Wiliamson. Todos anunciaram planos semelhantes aos de Love e o resto dos proprietários dos times, tanto da NBA quanto de outras grandes ligas americanas, seguiram a inspiração dos jogadores e têm criado planos e fundos de cobrir o período inerte de seus campeonatos.

Coração grande

Ele pode ser marrento, mas tem bom coração. Zlatan Ibrahimovic demonstrou que não é grande só de tamanho ao anunciar a “vaquinha” que criou para auxiliar no combate ao coronavírus na Itália.

“Neste momento dramático para a Itália, criamos uma angariação de fundos para os hospitais Humanitas. Conto com a generosidade dos meus colegas e daqueles que querem fazer até uma pequena doação”, comentou Ibra, em suas redes sociais.

“Vamos juntos chutar o coronavírus e vencer esta partida!”, completou o centroavante do Milan.

No Brasil

Nessa quinta-feira (19/03), dois times brasileiros demonstraram seu compromisso em combater o coronavírus. O São Paulo, em nota, divulgou que pretende disponibilizar suas estruturas, incluindo o estádio Morumbi, para o que for necessário em relação a conter a doença.

“(…) assumindo nossa responsabilidade social neste importante e crítico momento vivido por toda a população, manifestamos nosso posicionamento em disponibilizar toda a infreaestrutura do São Paulo Futebol Clube para aquilo que for necessário, inclusive o Estádio Cícero Pompeu de Toledo”, afirmou o clube.

Em atitude semelhante, o Athletico-PR colocou à disposição das autoridades de saúde a Arena da Baixada e o CT do Caju. A intenção é que elas utilizem os espaços da forma que julgarem conveniente.

Mais lidas
Vídeos
Últimas notícias