Socorristas que fotografaram corpo de Kobe Bryant estão sendo julgados

O advogado de Vanessa Bryant falou no tribunal sobre a "cultura de insensibilidade"

atualizado 11/08/2022 10:30

Gianna Bryant ao lado do pai, Kobe Bryant Elsa/Getty Images

Os socorristas que trabalharam no acidente que matou Kobe Bryant, sua filha Gianna, e outras sete pessoas, estão sendo julgadas, nos Estados Unidos. O motivo são as fotos que a equipe de emergência tirou dos corpos do ex-jogador de basquete e das outras vítimas.

O advogado de Vanessa Bryant, víuva do astro, falou no tribunal sobre a “cultura de insensibilidade”. Luir Li conta que sua cliente alega que os policiais não tiraram fotos do local para fins investigativos e as compartilharam com os bombeiros que trabalharam no acidente.

“Pelo menos 11 funcionários (do xerife) e uma dúzia de bombeiros compartilharam as fotos 24 horas após o acidente”, escreveram os advogados de Bryant em documentos judiciais.

“As imagens foram compartilhadas repetidamente com pessoas que não tinham razão absolutamente nenhuma para receberem as fotografias. Tiraram as fotos como se fossem lembranças“, explicou o advogado, que descreveu as imagens: “Corpos destroçados, primeiros planos de extremidades e carne queimada”.

Os advogados do condado de Los Angeles não contestam que as fotos foram tiradas, mas defendem que nunca foram divulgadas e foram excluídas.

A estrela do basquete Kobe Bryant, sua filha de 13 anos, Gianna, e outras sete pessoas morreram em um acidente de helicóptero em 26 de janeiro de 2020, na Califórnia.

Mais lidas
Vídeos
Últimas notícias