Por que um fotógrafo brasileiro se recusou a fazer foto do corpo de Senna

Alex Ruffo viu o piloto brasileiro morto e disse que “não fazia sentido” tirar a foto porque “não seria bom para ninguém”

atualizado 06/05/2020 14:42

Ayrton SennaPaul-Henri Cahier/Getty Images

Alex Ruffo é um dos fotógrafos mais conhecidos da história do automobilismo brasileiro e acompanhou de perto os anos finais da carreira de Ayrton Senna. O hoje comentarista da Jovem Pan revelou no programa “Cadeira Cativa”, do Grande Prêmio, parceiro do Ultra POP, que teve oportunidade de fotografar o corpo do brasileiro, morto em um acidente no GP de San Marino, mas não o fez.

Assim que soube da batida, Ruffo correu para o hospital Maggiore, em Bolonha, cidade próxima a Ímola. “Quando saiu a maca com o Ayrton deitado, por uns 15 segundos na minha frente, eu não levantei a máquina, não por ser purista, mas não fazia sentido. Aquilo não seria bom para ninguém, uma foto sensacionalista não ia acrescentar em nada além de vender jornal”, disse o profissional.

Leia a matéria completa em Ultra POP, parceiro do Metrópoles.

Vídeos
Últimas notícias