GP de Mônaco desafia Leclerc a quebrar tabu e superar Verstappen

Para esquecer todos os dramas vividos em sua terra natal, Leclerc aposta na própria experiência

atualizado 27/05/2022 9:16

Lars Baron/Getty Images

O abandono inesperado no GP da Espanha tirou de Charles Leclerc a oportunidade de abrir vantagem na liderança do Mundial de Pilotos. Neste fim de semana, correndo em casa, o monegasco tem como meta superar o tabu de nunca sequer ter terminado uma corrida em Montecarlo para destronar Max Verstappen do topo da Fórmula 1.

O azar do ferrarista é antigo. Em 2017, quando estava na Fórmula 2, o então piloto da Prema abandonou as duas provas do fim de semana por falhas no carro. No ano seguinte, já na F-1, conduzindo a Sauber, provocou um acidente com o neozelandês Brendon Hartley, na saída do túnel, e teve o carro bastante danificado. Em 2019, na Ferrari, um pneu furado em disputa por posição com o alemão Nico Hülkenberg o obrigou a abandonar. A pandemia não permitiu que o GP de Mônaco acontecesse em 2020, retornando à sua posição tradicional no calendário na última temporada.

Em 2021, Leclerc conquistou a pole position em Mônaco em um treino qualificatório que teve de ser encerrado por causa de um choque do piloto da Ferrari com o “guard rail” na curva da piscina. O acidente trouxe um problema no eixo motor esquerdo e o impediu de se alinhar no grid de largada.

Para esquecer todos os dramas vividos em sua terra natal, Leclerc aposta na própria experiência e na confiança de que os problemas da Ferrari não voltarão a se repetir. O monegasco repete que o tabu não lhe preocupa e não gasta suas energias em relembrar a sequência desastrosa em Mônaco.

“Não foi a pista que trouxe mais sorte para mim no geral, mas é a vida, acontece… Faz parte do automobilismo e às vezes as coisas simplesmente não saem do jeito que queremos. Espero que neste ano dê certo, mas vou seguir a mesma abordagem que fiz nas primeiras corridas de 2022, porque fui bem-sucedido até agora e espero que siga tendo sucesso em casa”, explicou Leclerc.

Há pouco mais de dez dias, em uma exibição nas ruas de Mônaco, Leclerc bateu um modelo histórico da Ferrari de Niki Lauda, de 1974, após perder o controle do veículo na saída da Rascasse. “Quando você pensa que já teve todo o azar do mundo em Mônaco, perde os freios na Rascasse com um dos carros históricos mais emblemáticos da Ferrari na Fórmula 1”, brincou o monegasco em seu perfil nas redes sociais.

Leclerc confia em uma surpresa nesta edição do GP de Mônaco. O piloto crê que alguma equipe poderá aparecer com novidades que baguncem as bancas de apostas, como foi a Ferrari em 2021. No paddock, a melhora significativa da Mercedes em Barcelona gera expectativa de que o carro pilotado pelo heptacampeão Lewis Hamilton e por seu compatriota George Russell possa combinar com as características da pista travada do Principado.

Atual campeão mundial, Verstappen venceu a última corrida em Mônaco e quer repetir a dose neste fim de semana para abrir caminho na liderança do mundial de pilotos. O holandês lidera o campeonato com 110 pontos, seguido de perto por Leclerc, que soma 104. Pérez não vem muito atrás, com 85 pontos, na terceira colocação.

Mas a Red Bull tem outro desafio com o qual lidar. Sergio Pérez não ficou satisfeito ao ser aconselhado a não entrar na luta pela vitória no Grande Prêmio da Espanha. O mexicano sabe seu papel na equipe, porém a escuderia austríaca deverá encontrar soluções para não ter um piloto que perca o interesse em lutar por pontos e vitórias ao se ver e rever relegado ao posto de guarda-costas de Verstappen.

Palco mais tradicional da Fórmula 1, Mônaco tem Ayrton Senna como seu maior vencedor. O brasileiro ficou no lugar mais alto do pódio em seis oportunidades e lidera as estatísticas de pole positions, com cinco. Com poucos pontos de ultrapassagem, a corrida costuma coroar quem larga na primeira fila e a estratégia de paradas nos boxes pode ser novamente decisiva diante da expectativa de uma corrida parelha.

Diferentemente de outros anos, Mônaco seguirá o padrão de fim de semana de outros circuitos, com atividades sexta, sábado e domingo. O treino que define o grid de largada para o GP será realizado no sábado, às 11h. A corrida terá início às 10h de domingo.

Mais lidas
Vídeos
Últimas notícias