Advogado da vítima de estupro por Robinho pede reabertura do caso

Jacopo Gnocchi quer que os outros quatro amigos do atleta, presentes no crime, sejam julgados na Itália. Robinho jogava no Milan à época

atualizado 13/03/2022 13:00

Robinho MilanMarco Luzzani/Getty Images

O advogado da jovem albanesa que acusou Robinho de estupro em 2013 afirmou, neste domingo (13/3), que pretende pedir a reabertura do caso para pedir o indiciamento de outros quatro amigos do jogador que também estavam presentes no momento do crime, em uma boate de Milão, na Itália.

Robinho e o amigo Ricardo Falco foram condenados, em janeiro deste ano, a nove anos de prisão pela justiça italiana.

Apesar de terem os nomes presentes nos documentos da investigação e na denúncia feita pelo procurador Stefano Ammendola, os outros brasileiros escaparam do primeiro julgamento por não terem sido encontrados pela justiça italiana para a audiência preliminar, em março de 2016. O caso segue suspenso.

0

“Vamos solicitar às autoridades italianas que os encontrem e notifiquem e esperamos, assim, prosseguir com o processo. Eles têm a presunção da inocência assegurada, será a Justiça a determinar se esses senhores, que estavam juntos com os dois condenados em via definitiva, são culpados ou não”, disse o advogado da vítima, Jacopo Gnocchi, ao portal Uol.

Gnocchi acredita que o quarteto não foi notificado por questões burocráticas que envolvem a notificação da justiça italiana aos suspeitos em território brasileiro. Junto a isso há as dificuldades que envolveram o trabalho durante a pandemia da Covid-19.

Mais lidas
Vídeos
Últimas notícias