400 atletas e 58 nações: Grand Slam de Judô é lançado em Brasília

Por sediar evento, Brasil terá direito a quatro representantes por categoria de peso na competição. Evento ocorre entre 6 e 8 de outubro

André Borges/Especial Para o MetrópolesAndré Borges/Especial Para o Metrópoles

atualizado 12/09/2019 15:37

Após sete anos de ausência, o Brasil receberá uma edição do Grand Slam de Judô. Entre os dias 6 e 8 de outubro, os principais judocas do mundo estarão em Brasília para disputar a maior edição a ser realizada no país. Ao todo, quase 400 atletas, de 58 diferentes nações já estão inscritos na competição. O evento foi oficialmente lançado nesta quinta-feira (12/09/2019), no Palácio do Buriti, que teve o salão

A vinda do Grand Slam para Brasília faz parte de uma estratégia do Governo do Distrito Federal de trazer grandes competições esportivas para a capital federal. Recentemente, as águas do Lago Paranoá receberam o Campeonato Brasileiro de Canoagem, que contou com a presença de ninguém menos que Isaquias Queiroz, campeão mundial e medalhista olímpico.

No evento, que contou com a presença do governador Ibaneis Rocha e outros parlamentares ligados ao esporte, como a senadora Leila do Vôlei e o deputado federal Júlio César Ribeiro. O secretário de esportes, Leandro Cruz, enalteceu a capacidade de Brasília de receber um evento tão importante para o judô. O Grand Slam distribui 1000 pontos no ranking mundial para cada campeão e os vencedores deixarão a capital federal mais próximos de uma vaga na Olimpíada de Tóquio, no ano que vem.

“É um honra muito grande. Pela primeira vez teremos um grande evento internacional de judô no Brasil fora do Rio de Janeiro. Temos o maior evento da história do judô no Brasil sediado justamente em Brasília. Há quase dez anos o Brasil estava fora dos grandes eventos do judô. É uma grande vitória para a população de Brasília”, celebrou.

A vinda do Grand Slam para a cidade também provocará mudanças no projeto dos Centros Olímpicos das cidades-satélites. Isso porque, por ordem de Ibaneis Rocha, todos os espaços destinados à prática de esportes terão aulas de judô.

Ao todo, o Governo do Distrito Federal gastará R$ 3 milhões com a realização do evento.

Atletas de Brasília marcam presença
O evento de lançamento do Grand Slam contou com a participação de Ketleyn Quadros e Luciano Corrêa. Os dois são alguns dos maiores expoentes do judô em Brasília e do Brasil. Ela foi a primeira medalhista olímpica da modalidade, enquanto ele foi campeão mundial.

“É uma vitória muito grande. A gente só pode ter cinco Grand Slams durante o ano e Brasília foi muito feliz em trazer um deles para cá. Ter quatro atletas aumenta as chances de pontuar bem no ranking mundial e isso nos aproxima da vaga (na Olimpíada), já que no feminino e no masculino nossos atletas têm que estar entre os 18 melhores do mundo. Ter uma competição assim dentro de casa, conhecendo o clima, a alimentação e sua família por perto é um privilégio”, concluiu Ketleyn, nascida na Ceilândia.

Pouco depois do lançamento do Grand Slam de Judô, o secretário de esportes, Leandro Cruz, confirmou que Brasília já está de olho na realização de outro grande evento esportivo: um dos pré-olímpicos de basquete, em 2020.

Classificação

PosTimePÚltimos
jogos
1Flamengo42
W W W W W
2Palmeiras39
D L W W W
3Santos37
L D W D L
4Internacional33
W L W W W
5Corinthians32
D W D W D
6São Paulo31
W W L D L
7Bahia30
D D W W W
8Atlético-MG27
L L L L L
9Botafogo27
L D L W D
10Athletico-PR26
L L W D L
11Grêmio25
L D W D W
12Vasco23
L W L L W
13Ceará22
L L L D D
14Fortaleza21
W L D W L
15Goiás21
L D W L L
16Cruzeiro18
W D W L L
17Fluminense15
L L L W L
18CSA15
L W D L W
19Chapecoense14
W D L L L
20Avaí13
L D W L W
Últimas notícias