metropoles.com

Taís Araújo revela “maior dificuldade” no júri do The Masked Singer

Rodrigo Lombardi, Eduardo Sterblitch e Tatá Werneck também comentaram sobre a expectativa com o final do programa da TV Globo

atualizado

Globo/Reprodução

O segredo é a alma do negócio e também a razão do sucesso de The Masked Singer, reality show exibido na TV Globo. Sob o comando de Ivete Sangalo e com Priscilla Alcantara nos bastidores, o Camaleão, o Dragão e a Leoa disputam a final do programa, que acontece no próximo domingo (24/4).

Ainda na tentativa de descobrir quais celebridades se escondem embaixo das máscaras, os jurados Tatá Werneck, Rodrigo Lombardi, Eduardo Sterblitch e Taís Araujo falaram sobre a expectativa para descobrir quem será o vencedor da segunda edição.

Mesmo não sabendo quem são os personagens, Taís Araujo acredita que a maior dificuldade do programa sempre é ter que desmascarar alguém. “É muito difícil tirar a pessoa do caminho do sonho. Aquela pessoa deseja estar ali, fazendo uma coisa diferente e é tão bonito quando tiram a máscara e a gente vê, não o artista, mas a pessoa com as suas questões, seus desafios, as suas demandas vencidas”, relata Taís.

A atriz completa, ainda, que o público é essencial nas investigações de quem são os mascarados. “Nós descobrimos na primeira temporada que esse é um programa que o público faz conosco. A gente brinca de descobrir em casa com os nossos familiares e o público também está fazendo isso. É muito legal dividir esse lugar com eles”, conta.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

Para Rodrigo Lombardi os mascarados que estão na disputa prometem emocionar. “Eu vejo que o programa sempre começa com alegria e termina com excelência, é de uma qualidade absurda. Acho que o público pode esperar isso de novo. Na segunda temporada tivemos pessoas incríveis: temos o Dragão e o Camaleão com shows sensacionais e fantasias que são adoradas pelo público, e a Leoa correndo por fora com apresentações cada vez melhores, cantando, dançando, acompanhando coreografia”, analisa o jurado.

Já Eduardo Sterblitch conta que não segurou a emoção em diversos momentos ao longo da temporada. “A cada episódio, o programa fica mais emocionante. Mantemos sempre a alegria, mas a gente começa a chorar, porque o sarrafo dessa temporada está maior. Então, com certeza, o público pode esperar emoção”, afirma Sterblitch.

A jurada Tatá Werneck, que protagonizou momentos de muita comoção durante a temporada, conta que se apaixonou pelos mascarados. “A gente se apaixona por aqueles personagens, artistas brilhantes que nem sabemos exatamente quem são, e às vezes fica na nossa mão escolher alguém”, finaliza Tatá.

Quer ficar por dentro do mundo dos famosos e receber as notícias direto no seu Telegram? Entre no canal do Metrópoles: https://t.me/metropolesfamosos.






Quais assuntos você deseja receber?