Ministério Público investiga jornalista que sugeriu morte de judeus

José Carlos Bernardi foi acusado de antissemitismo e o Ministério Público de São Paulo deu 3 dias para a emissora enviar gravação

atualizado 17/11/2021 16:17

José Carlos Bernardi, comentarista da Jovem Pan News, foi muito criticado pelos comentários feitos durante o Jornal da Manhã, na última terça-feira (16/11), onde sugeriu a morte dos judeus. Após a repercussão do caso, o Ministério Público de São Paulo (MPSP) instaurou um procedimento solicitando que a emissora envie a gravação original.

O prazo dado, pelo MPSP, para que a rádio envie a gravação, é de três dias. A intenção é apurar um eventual crime de ódio por intermédio de meios de comunicação, caracterizando antissemitismo por parte de Jose Carlos Bernardi.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

Na ocasião, Bernardi criticou o discurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em um evento do Parlamento Europeu. A fala foi criticada nas redes sociais e repudiada pelo diretor do Instituto Brasil-Israel. “Se a gente matar um monte de judeus e se apropriar do poder econômico deles, o Brasil enriquece. Foi o que aconteceu com a Alemanha pós-guerra”, disse o jornalista.

Outro lado

Por meio de nota, Bernardi pediu desculpas e avaliou seu comentário como infeliz.

Veja:

“Peço desculpas pelo comentário infeliz que fiz hoje no Jornal da Manhã – Primeira Edição, ao usar um triste fato histórico para comparar as economias brasileira e alemã. Fui mal-entendido. Não foi minha intenção ofender a ninguém, a nenhuma comunidade, é só ver o contexto do raciocínio. Mas, de qualquer forma, não quero que sobrem dúvidas sobre o meu respeito ao povo judeu e que, reitero, tudo não passa de um mal-entendido. Obrigado”.

Quer ficar por dentro do mundo dos famosos e receber as notícias direto no seu Telegram? Entre no canal do Metrópoles: https://t.me/metropolesfamosos

Mais lidas
Últimas notícias