*
 

O desafio já começa com a maior prova da história do programa: cozinhar para 300 pessoas no Centro de Tradições Nordestinas de São Paulo. O prato é um clássico da culinária desta região, o baião de dois e o juiz convidado, um ícone dela, Rodrigo Oliveira, famoso pelo restaurante Mocotó.

Os competidores são divididos em dois grupos e terão duas horas para preparar tudo. As capitãs são Rita (time azul) e Ana Luiza (time vermelho), que escolhem suas equipes. Durante toda a prova o time azul se mostrou mais organizado e adiantado, entretanto, o vermelho venceu pelo sabor. Ambos os times são parabenizados por conseguirem cumprir corretamente a prova e não receberem críticas de nenhum comensal, porém amplamente criticados pela sobra excessiva de comida.

De volta ao estúdio, o time perdedor tem a chance de salvar três de seus competidores desde que seja acordado por todos. Rita faz uma sugestão (Aristeu, Thiago e Evandro) que todos aceitam, porém na hora que foram questionados individualmente, Angélica fez com que todos retornassem à prova de eliminação.

O ingrediente era atum e os aspirantes a chef tiveram tempos diferenciados para seu preparo, escolhidos por Ana Luiza: uma hora (Aristeu), 50 minutos (Rui e Angélica), 40 minutos (Evandro e Maria Antônia), 30 minutos (Thiago e Andressa) e 20 minutos (Vinícius e Rita).

Band / Divulgação

Andressa deixa a prova por um erro de técnica

Terminado o tempo, os três melhores foram Maria Antônia, Thiago e Rita, sendo Rita, mesmo com 20 minutos, a melhor. Os três piores foram Angélica, Andressa e Aristeu, que mesmo tendo muito tempo realizaram um mau trabalho. Andressa acabou sendo eliminada por não ter retirado a linha de sangue do atum (uma parte escura de sabor extremamente amargo), salvando por pouco Angélica e seu prato nada inventivo e mal executado.

 

 

COMENTE

MasterchefMasterchef Brasilpaola carosellaFogaçaPaolaJacquin
comunicar erro à redação

Leia mais: Televisão