*
 

A série “Guia Politicamente Incorreto” estreia, neste sábado (21/10), no History Channel. Antes mesmo de ir ao ar, o seriado já deu o que falar. Deve essa popularidade ao livro “Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil”, do jornalista Leandro Narloch. A produção televisiva, assim como a literária, se propõe a jogar controvérsia nos acontecimentos do passado.

A lista de polêmicas defendidas é grande. Argumenta que o nazismo era de esquerda, defende os agrotóxicos como ferramenta de expansão da agricultura e assegura que Zumbi dos Palmares tinha escravos. Apresentado pelo youtuber Felipe Castanhari, o programa garante manter distanciamento das ideias do livro.

O canal garante ter ouvido todos os lados, para ser o mais imparcial possível nas quase oito horas de material. De acordo com Matheus Ruas, diretor da série, as pesquisas revelaram algumas surpresas.

Na investigação da história de Santos Dumont, fomos até o Rio de Janeiro, para conversar com especialistas da Força Aérea do Brasil, e aos Estados Unidos, falar com especialistas e familiares dos irmãos Wright. O conteúdo que surgiu foi surpreendente"
Matheus Ruas

Para o autor do livro, Leandro Narloch, a adaptação ajuda a ampliar a discussão. “‘O Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil’ é uma obra polêmica, que causa desconforto em muitos leitores. A opção da série de apresentar as afirmações do livro e discuti-las com especialistas foi ótima para criar um debate e mostrar como a divergência de ideias pode levar a uma interessante linha narrativa”.

Entre os convidados da temporada, estão Milton Neves, Nelson Motta, Luiz Felipe Pondé e Ricardo Boechat

No episódio deste sábado (21), chamado “Brazil com Z, Existia um Brasil antes de 1500? E como existia…”, já promete inflamar debates. Um dos argumentos centrais é que os índios cuidavam da natureza de forma agressiva, tendo contribuído para a extinção de grandes animais. Esclarece também a origem oculta de nossos símbolos nacionais, nas palavras de Nelson Motta, Lira Neto, Milton Neves e Mauro Betting.

Neste sábado (21/10), no History Channel, às 21h45