O ator Carlos Villagrán, que deu vida ao personagem Quico, do seriado Chaves, não poupou críticas a Roberto Bolaños, intérprete do papel principal da atração. Em entrevista ao Programa do Porchat, que vai ao ar na madrugada desta quinta-feira (8/12), Villagrán disse que Bolaños “menosprezou” os artistas que trabalharam com ele.

“Ele pensou que tudo era criação dele. Como sabia escrever roteiros, pensava ‘sou um gênio’. Ele menosprezou seus companheiros. Ele era o dono da Chiquinha, do Seu Madruga, do Sr. Barriga, da Dona Florinda, de tudo”, disse o filho da dona Florinda.

Além disso, Villagrán afirmou que causava inveja em Bolaños. “Nas coletivas de imprensa, sempre perguntavam mais para mim. Despertou inveja, ciúme… Começaram a querer tirar o Quico da turma”, relatou. Dessa forma, segundo o ator, tiraram ele do programa. “Eu fui tirado e o Seu Madruga quis sair em solidariedade. Depois disso, o programa começou a acabar”, disse.

“Ficamos juntos por oito anos e fizemos turnês em vários países”, lembrou Villagrán. Depois, ele começou a carreira sozinho, mas disse ter sido boicotado pela Televisa, emissora que transmitia o Chaves no México, e pelo próprio Roberto, que “mandava fax para que as empresas não me dessem trabalho”.

Ainda de acordo com Villagrán, ele procurou Roberto Bolaños, que morreu em 28 de novembro de 2014, para tentar fazer as pazes, mas foi em vão. “Liguei, mas ele nunca atendeu”, disse. Apesar disso, o intérprete de Quico se diz grato por tudo. “Tive dinheiro para pagar os estudos dos meus filhos, alimentação e tudo mais. Não fiquei milionário. Mas sou feliz e grato ao que Deus me deu”, explicou.