*
 

O último capítulo de Malhação – Viva a Diferença foi transmitido na segunda-feira (5/3). Com o término, as atrizes que protagonizaram a trama não estão com sorte dentro do mercado de trabalho oferecido pela Globo. Isso porque a emissora mudou sua política de manutenção do banco de atores, favorecendo nomes já conhecidos ou artistas altamente produtivos.

Gabriela Medvedovski, Daphne Bozaski, Heslaine Vieira, Ana Hikari e Manoela Aliperti foram os cinco destaques do folhetim, escrito por Cao Hamburguer, responsável por projetos como Castelo Rá-Tim-Bum (1994-1997) e Disney Club (1997-2001). Apesar do sucesso, as jovens atrizes perderam o vínculo com a Globo; sem projetos à vista, uma possível renovação de contrato é quase nula, embora a emissora ainda discuta internamente o que fazer com as artistas, segundo o UOL.

Heslaine, que viveu Ellen, já havia aparecido na Globo em um episódio de Dupla Identidade (2014). Daphne, a Benê, também já trabalhou na TV, em Que Monstro te Mordeu? (2014-2015), Experimentos Extraordinários (2014-2015) e Manual para se Defender de Aliens, Ninjas e Zumbis (2017). Manoela Aliperti, a Lica, atuou em Três Teresas (2013-2014), no GNT. Já Gabriela e Ana Hikari, Keyla e Tina na novela, estrearam na TV com Malhação.

A grande repercussão de Viva a Diferença ganhou novos parâmetros, inclusive nos limites internacionais. A Globo até colocou a produção no catálogo de novelas para exportação, e isso depois de 13 anos sem vender nenhuma temporada da novela. O renomado trabalho de Cao Hamburger rendeu a ele espaço na companhia de Roberto Marinho. Embora as atrizes ainda estejam fora dos projetos da Globo, Hamburger já está cotado para definir seu próximo trabalho.