Sambistas brasilienses lançam música sobre o coronavírus

Nomes como Dhi Ribeiro e Marcelo Coisa Nossa gravaram, cada um de sua casa, o single Samba Não Para para conscientizar a população

atualizado 09/04/2020 11:19

sambistas-música-coronavírusreprodução/ youtube

“O mundo parou, mas o samba não para!” é o lema dos sambistas de Brasília que se uniram para fazer uma música sobre a pandemia do coronavírus e a atual situação de isolamento social. Nomes como Dhi Ribeiro e Marcelo Coisa Nossa gravaram, cada um de sua casa, o single O Samba Não Para.

Na letra, escrita por Bebeto Cerqueira, os músicos falam sobre a importância da quarentena, mas lembram que o samba continuará trazendo alegria ao povo mesmo em tempos difíceis. “Pandemia nos afasta um pouco, mas cremos na fé do povo, em breve estaremos unidos de novo”, diz um trecho da canção.

Os cantores que aparecem no vídeo são: Mestre Brannca, Irlan Rezende, Bebeto Cerqueira, Milsinho, Valerinho Xavier, Dilton Cavaquinho, Gil do Banjo, Erick do Banjo, Robson do Banjo, Dhi Ribeiro, Marcelo Sena, Khris Maciel, Renata Jambeiro, Sarinha Almeida, Júnior Papel, Negro Vatto, Alexandre Cidade, Guilherme Arruda, Carlynhos Black, Jefferson Feijão, Gustavo Beier, Oton Neves, Renato dos Anjos e Wagner Sodré.

Responsável por idealizar o projeto junto com o músico Mestre Brannca, Irlan Rezende contou que todo o trabalho de produção da canção, incluindo edição das imagens, foi feito em apenas sete dias. “Um amigo músico me enviou um vídeo da Cufa [Central Única das Favelas] que versava mais ou menos sobre o assunto e questionou porque nós, músicos de Brasília, não estávamos fazendo algo assim. Pensei que seria uma boa e abracei a ideia”, relatou.

“Tivemos menos de uma semana para cada participante aprender a letra, a música e gravar um vídeo para enviar para o nosso editor de vídeo”, explicou.

“Estamos passando uma mensagem de paz. Se cuide agora, o momento é urgente. Você se cuidando, está cuidando da gente. Perdemos alguns, mas não a batalha. Juntamos o samba para te dar nossas mãos, no fundo no fundo, somos todos irmãos”, finaliza a música.

Confira:

Pelo Brasil

Não é só em Brasília que sucessos estão se reunindo para conscientizar a população com música. A Central Única das Favelas (Cufa) reuniu nomes como Xande de Pilares, Mumuzinho, Alcione, Péricles, Ferrugem, Karol Conka, Leo Santana, Sandra de Sá e outros para mostrar aos moradores da periferia como se prevenir contra o coronavírus.

A canção, intitulada O Mundo Parou, fala sobre as dificuldades que moradores das favelas passarão além do vírus em si, como fome. “Imagina o povão lá no morro passando mais fome que necessidade”, diz um trecho.

Mais lidas
Últimas notícias