O cantor e compositor Peppino di Capri já divulgava a música italiana muito antes da popstar Laura Pausini nascer. Celebrando 60 anos de carreira, o artista volta a se apresentar em Brasília, nesta quinta-feira (14/3), às 22h, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães (Eixo Monumental). Na turnê intitulada Per Amore, os fãs poderão relembrar sucessos como Champagne e Roberta.

“O público brasileiro sempre me acolhe muito bem. O que eu mais gosto é a forma como as pessoas me recebem. Vocês têm uma maneira de fazer as coisas muito semelhante com o meu povo. Além de tudo, o público é muito participativo, cantam as músicas, entendem, sabem as palavras e tudo isso cria uma atmosfera nos shows que me dá muito prazer”, elogia Peppino.

Arquivo Pessoal/Divulgação

Peppino di Capri entrou nas paradas de sucesso pela primeira vez em 1958, com a canção Malatia

 

O italiano prepara repertório robusto composto por 20 canções e uma participação especial de Zizi Possi. “Sempre fui um grande admirador da bossa nova. Toquinho, Tom e Vinícius foram um banho de cultura para mim. Além de ser um grande privilégio ter aproveitado e me inspirado com o melhor da música brasileira”, ressalta o italiano, que recebeu os representantes do país no camarim de seu show no Canecão (RJ), em 1970.

Peppino relembrou momentos difíceis da sua trajetória, que quase os fizeram abandonar os palcos pouco antes do encontro com os brasileiros.

“Foi no final dos anos 1960, quando vivenciei um dos piores momentos da minha vida. Não aconteceu direto com a minha carreira, foi uma crise geral no mercado, mas me afetou. Cheguei a pensar em desistir. Mas um dia eu acordei, me olhei no espelho e pensei: ‘não, sou muito jovem para desistir, vou começar de novo, desde o princípio’. Na crise eu achei a luz para a minha carreira”, revisita o cantor.

 

Repertório
É difícil encontrar alguém que não saiba cantarolar o famoso verso: “champagne, per brindare a un incontro”. Mesmo os mais jovens, ainda que não conheçam o dono de um dos maiores hits românticos da história da música internacional. Composta em 1973, Champagne se tornou a marca oficial de Peppino di Capri mundo afora. E, por isso, a faixa também é a preferida do autor. “Quando eu a canto, as pessoas se emocionam, interpretam juntas, ficam mais participativas. É uma catarse”, avalia.

Outros clássicos de Peppino compõem o repertório do show na capital federal, entre eles, Luna Caprese, E Tu Ci Sei, Il Sognatore, Meglio Cosi, Dimme Addo´sta, Roberta, I Love Paris
Malafemmena, Alleria e Nessuno Al Mondo.

Aos 79 anos de idade, Peppino diz que continua dedicando 100% do tempo à música. “É a única coisa que sei fazer”, brinca. Segundo ele, parte do trabalho é ouvir artistas atuais e buscar novas influências. “Gosto de ver os rumos que o mercado está tomando. Ouço rap, música jovem, clássica… Tudo o que é possível para me inspirar”, revela.

 

Per Amore com Peppino di Capri. Participação especial de Zizi Possi
Nesta quinta-feira (14/3), às 22h, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães (Eixo Monumental). Ingressos: a partir de R$ 150 (meia-entrada). À venda on-line ou na loja da Eventim no Brasília Shopping (Asa Norte). Não recomendado para menores de 14 anos