Paulo Pagni, baterista da banda RPM, morre em São Paulo

Ele estava internado há 20 dias por causa de uma forte pneumonia. Informação foi divulgada nas redes sociais da banda

atualizado 22/06/2019 18:49

Reprodução/Facebook

Morreu, na tarde deste sábado (22/06/2019), o baterista Paulo Pagni, da banda RPM. Ele estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital de Salto (SP) há ao menos 20 dias.

O músico tinha 61 anos e enfrentava uma grave pneumonia, além de outros problemas respiratórios. A informação foi divulgada na página oficial da banda:

Vale ressaltar que, no início do mês, a RPM havia divulgado uma nota de falecimento do artista, mas Pagni estava internado, como esclareceu a assessoria de imprensa do grupo na ocasião.

Paulo Antônio Pagni começou cedo no mundo da música. Antes de se juntar a banda RPM, integrou o grupo musical RP 5, ex-banda de Paulo Ricardo. Em 1987, ele e Fernando Deluqui deixaram o RPM, mas retornaram no ano seguinte.

Ele estava com a banda quando o RPM fez mais sucesso, entre os anos de 1984 a 1987. À época, o grupo bateu todos os recordes de vendas da industria fonográfica do país. A banda lançou hits como “Olhar 43”, “Rádio Pirata”, “London, London”, “Loiras Geladas”, “Alvorada Voraz” e “Cruz e Espada”.

Antes de adoecer, Pagni participava da atual formação da banda, com novo vocalista. Ele esteve em diversos shows realizados pelo grupo no início do ano. O baterista assina com o atual RPM as novas músicas como  “Ah! Onde Está Você” e “Escravo da Estrada”.

Últimas notícias