Pabllo Vittar perde ação para o Serasa por post sobre dívida com Anitta

Cantora alegava que empresa promoveu campanha publicitária utilizando a polêmica que já foi desmentida. Justiça entendeu diferente

atualizado 17/06/2020 12:56

Pabllo VittarReprodução/Instagram

A cantora Pabllo Vittar teve ação judicial considerada improcedente pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP). A cantora pedia indenização de R$ 120 mil do Serasa, alegando que a empresa promoveu campanha publicitária em cima da polêmica envolvendo a suposta dívida com Anitta, estimada em R$ 70 mil.

Os advogados da cantora moveram o processo ainda no ano passado, acusando o Serasa de “utilizar-se de um boato maledicente espalhado pela internet e de extremo mau gosto” para fazer campanha de um serviço de análise de crédito da empresa.

Segundo a juíza, Carolina Bertholazzi, da 3ª Vara Cível, a publicidade do Serasa não causou danos a imagem de Pabllo, mas sim, o áudio vazado por Anitta. Ela acrescentou que a empresa não usou o nome da cantora, tendo apenas utilizado uma informação que era pública.

0

Após a decisão, Pabllo foi condenada a pagar os honorários fixados em 10% do valor do processo, totalizando cerca de R$ 12 mil. A artista não recorreu e fixou um acordo com o Serasa, onde pagará R$ 6 mil pelos honorários.

Entenda a polêmica

Em agosto de 2019, o Serasa publicou em perfil nas redes sociais, um post ilustrativo com a seguinte frase: “Devendo US$ 70 mil para uma cantora?”, se referindo a suposta dívida com Anitta – negada pelas duas cantoras.

A publicação gerou diversos comentários relembrando a polêmica, o que teria deixado a Pabllo bastante constrangida. Na ocasião, Anitta vazou um áudio afirmando que Pabllo não pagou os custos do clipe de Sua Cara, gravado no deserto do Saara em 2017.

Após a Pabllo comprovar na Justiça que todos os gastos com o clipe foram pagos, Anitta afirmou que o áudio era apenas um desabafo e “não acusou ninguém de dever dinheiro”. As cantoras chegaram, inclusive, a brigar publicamente por conta do post do Serasa.

Últimas notícias