Melim reverencia Djavan no álbum Deixa Vir do Coração: “Indescritível”

Voz e violão, o disco apresenta releituras de 13 hits, com participação especial do homenageado em Outono

atualizado 10/06/2021 21:11

Banda MelimSergio Blazer/Divulgação

É difícil imaginar as imortalizadas canções de Djavan, repletas de quebras de sílabas e harmonias complexas, nas vozes de outros artistas. A banda Melim decidiu encarar o desafio e lança, nesta sexta-feira (11/6), o álbum Deixa Vir do Coração, composto integralmente por releituras dos clássicos de um dos principais representantes da música popular brasileira.

Com produção de Max Viana, filho de Djavan, o disco chega às plataformas de streaming pela Universal Music. A Melim também irá disponibilizar os vídeos das faixas em blocos semanais no YouTube.

“O voz e violão é um mecanismo que a gente está muito acostumado a usar e o público se identifica. Então fizemos em um dia, a gente gravou todas as músicas ao vivo, decorou um estúdio para ficar parecendo uma casa e trazer um ar aconchegante e todas as músicas são acompanhadas de vídeo”, adianta Gabriela, sobre os clipes dirigidos por Ricardo Melchiades.

Banda Melim e Juliano Moreira dividem os vocais em Nem Um Dia

Em entrevista coletiva, os irmãos Diogo, Gabriela e Rodrigo Melim contaram que Djavan sempre foi o maior ídolo, além de ser a trilha sonora oficial das turnês, pelas vans, ônibus e after shows nos quartos de hotéis. “Ele sempre foi o nosso bam bam bam da música. Acredito que essa homenagem aconteceria mais cedo ou mais tarde”, enfatiza Diogo Melim.

O disco conta com 13 faixas, que passam por hits como Lilás, Flor de Lis, Te Devoro e Samurai, entre outros. “Foi um processo muito difícil. Existem muitas músicas que a gente gosta, e que a gente imagina que as pessoas queiram nos ouvir cantar. Mas ao mesmo tempo foi muito especial, porque fomos conhecendo mais as obras dele, não queríamos gravar só os grandes hits”, explica Rodrigo Melim.

Outono, faixa de 1992, foi a escolhida para a participação de Djavan
Dueto com o mestre

O repertório traz, ainda, regravações de composições não tão executadas como Navio e Outono, com participação especial do homenageado. “Quando ele manifestou a vontade de participar, para a gente era algo inimaginável. As músicas dele influenciaram nossas vidas, nossas carreiras, nosso som”, diz Diogo. “Outono era uma música que a gente não cantava sempre, e foi uma surpresa ele escolher ela. Foi uma sensação indescritível”, completa Rodrigo.

No tributo, Melim divide os vocais também com Juliano Moreira, em Nem Um Dia. “Além de ser o cara que nos inspira diariamente a escutar Djavan, ele conhece muito da MPB e disse que ficou muito feliz com o convite. A música que cantamos juntos soa quase como uma celebração. tem muito carinho envolvido”, comemora Rodrigo.

“O mais bonito de tudo é ver que de alguma forma podemos ser o canal de conexão para o público mais jovem que não conhece afundo a obra do Djavan, ser porta voz de composições atemporais de tanta riqueza musical e consistência. É um álbum homenagem de coração, voz e violão ao vivo, a esse cara que é tão importante para nós, para a música e para o mundo”, conclui Gabriela.

Quer ficar por dentro do mundo dos famosos e receber as notícias direto no seu Telegram? Entre no canal do Metrópoles: https://t.me/metropolesfamosos.

Últimas notícias