*
 

O Coachella é um dos mais importante festivais de música do mundo inteiro. Em Indio, na Califórina, o evento propaga a liberdade e o pensamento progressista. No entanto, o dono da empresa que promove os shows estaria ligado a organizações extremistas contra os LGBTs.

A denúncia foi feita por veículos de imprensa dos Estados Unidos. Philip Anschutz, dono do Coachella, teria doado dinheiro arrecadado no festival para apoiar grupos de extrema-direita, que são contrários aos direitos LGBT e às políticas de proteção ambiental.

Segundo reportagem do Washington Post, Anschutz doou dinheiro para grupos anti-LGBT, como a Aliança Defensora da Liberdade, a Fundação Cristã Nacional e o Conselho de Pesquisa da Família.

Apesar dessa postura, boa parte do público que frequenta o festival é LGBT. Até mesmo o line-up busca artistas que dão apoio às causas sociais e das minorias. Em 2017, por exemplo, os headlines são Beyoncé, Kendrick Lamar e Radiohead.

A polêmica, entretanto, não impediu que a venda de ingressos para o Coachella fosse um sucesso. Em algumas horas, todas as entradas foram comercializadas. O evento ocorrerá entre 14 e 23 de abril.

 

 

COMENTE

lgbtBeyoncécoachella
comunicar erro à redação

Leia mais: Música