Coronavírus: sem shows, Ludmilla adianta 10 cachês para músicos

A intenção da funkeira é não deixar que seus músicos passem necessidades durante a crise do Covid-19

Ludmilla posando em um carroReprodução

atualizado 25/03/2020 14:40

Sem shows por conta da pandemia do coronavírus, a cantora Ludmilla pediu ao seu empresário, Alexandre Baptestini, que adiantasse o valor referente a 10 cachês para os músicos da banda da funkeira, com a intenção de que eles não passassem necessidade durante a crise. As informações são da coluna Leo Dias, do portal UOL.

“O escritório vai adiantar para gente 10 cachês, 5 referentes a março e 5 referentes a abril. Se no final de abril não houver nenhuma perspectiva de volta, a gente senta e negocia novamente. Isso pelo menos dá uma boa ajuda para gente. Até segunda-feira a gente deve receber esse valor”, afirmou um produtor da cantora identificado como Douglas Oliveira.

A decisão foi tomada na manhã desta quarta-feira (25/3) em uma reunião de Lud com Alexandre. No mundo do funk, essa é a primeira atitude em prol dos funcionários.

0

A coluna ainda conta que conversou com Kamilla Fialho, responsável por agendas de funkeiros como Kevin O Chris. Segundo ela, o momento é de adaptação.

“Tudo isso está sendo um grande desafio não só para nós do mercado musical, mas para todos os empreendedores. É inegável que precisamos reavaliar custos e nos readaptar a esta nova realidade, por conta disso estamos aprimorando um projeto que sempre existiu de consultoria para artistas, empresários e produtores do presencial para o online: neste modelo eu desenho o mapa e aponto o caminho”, explicou.

Últimas notícias