Cantor Choji salta do TikTok para o topo das paradas do Spotify e YouTube

Com a batida ideal para coreografias, Meu Lado da História conquistou anônimos e celebridades e deu reconhecimento nacional ao rapper

atualizado 12/11/2020 19:33

Reynaldo Neo/ Divulgação

“Agora Choji vai rodar o mundo”, é assim que o rapper batizado Gabriel, de 19 anos, previu o sucesso já no primeiro verso de Meu Lado da História. A canção — com batida ideal para coreografias— viralizou no TikTok com o apoio de famosos como as cantoras Ludmilla, Pocahontas, Anitta e Xamã e os atores João Guilherme e Cinthia Cruz, e entrou para a lista de hits virais do Spotify e YouTube.

Tem horas que nem acredito ainda. É bizarro saber que esses artistas brabos pararam pra ouvir tua música, quiseram aprender a coreografia e postaram em seus perfis. Nunca duvidei do meu trabalho, da minha capacidade, sempre acreditei muito… mas é que foi tudo muito rápido, estou acostumando ainda”, ressalta Choji.

Nascido e criado na comunidade de Alto Independente, em Petrópolis, região serrana do Rio de Janeiro, Choji frequenta as rodas de rima desde criança. “Incentivadores? Só meus amigos mesmo. Minha mãe ficava preocupada, mas eu acreditava que ia conseguir conciliar as responsas que eu tinha em casa e com a música”, contou ao Metrópoles.

O nome artístico também veio de uma brincadeira entre amigos, que se refere ao personagem do Naruto. No anime, Choji é tímido e tem o poder da força, aumentando de tamanho quando necessário. Na vida real, a perseverança no trabalho e a crença no sonho têm feito o artista crescer de forma meteórica no mercado fonográfico.

Graças a sucessos como Fala que Me Ama, Se eu Chamo Ela Vem e Meu Lado da História, a única a ganhar videoclipe, com mais de 17 milhões de visualizações no YouTube e 6 milhões de ouvintes no Spotify, Choji pôde finalmente viver da música. “Desde fevereiro de 2020 que eu me sustento da minha carreira”, comemora.

Futuro

Agora, Choji pretende se dedicar ainda mais em sua música para conquistar ainda mais espaço na cena nacional. “Quero fazer mais músicas que toquem as pessoas como essa fez geral se identificar. Quero viver disso. Dar uma condição melhor de vida para minha mãe, colhendo os frutos que meu talento musical me gerar”, salienta.

Entre os sonhos estão gravar com rappers internacionais. “Tem que sonhar alto, né ? Quavo é um deles… Mas aqui do Brasil eu curto muito o trabalho brabo do BK e sonho em um dia poder estar junto. Acho ele demais! E falando aqui do Rio, tem o Kevin o Chris. Outro gigante”, elogia.

O músico adianta que em breve lançará outra promessa de hit. “Com um feat lindão, uma colab braba”, garante, sem mais detalhes.

0

 

Últimas notícias