Poesia popular e autêntica: conheça os versos do jovem Bráulio Bessa

Revelado no programa Encontro com Fátima Bernardes, escritor cearense faz da literatura importante veículo de transformação

atualizado 18/10/2018 7:56

Igor Barbosa/Divulgação

O poeta cearense Bráulio Bessa mora no coração das massas. Literalmente. Tanto que na última Festa Literária Internacional de Paraty (Flip), realizada em julho, figurou entre os 10 autores que mais venderam livros. E com um detalhe. O artista nem estava na programação oficial do evento. Portanto, era sucesso espontâneo, natural, atributo que está na essência dos versos escritos por esse jovem de 32 anos e no seu jeito de ser.

“Só deu certo porque a coisa aconteceu de forma natural”, diz, pragmático, na apresentação de seu livro Poesia que Transforma, lançado pela editora Sextante e desde já um fenômeno editorial com aproximadamente 45 mil edições vendidas.

Igor Barbosa/Divulgação
Bráulio Bessa: poesia sobre as coisas simples da vida

 

Bessa nasceu em Alto Santo, interior do Ceará. Até pouco tempo atrás, seu sonho se resumia em ter um videogame e camisas de marca. Mas tudo mudou quando se deparou, na escola, com os versos regionalistas e de profundidade genuína do poeta popular Patativa do Assaré (1909-2002). Isso foi há quase 20 anos, quando ele tinha 14.

“Foi esse o primeiro choque de transformação. Vi que a poesia podia transformar vidas e falei isso de forma muito superficial para mim mesmo, sem perceber que eu estava sendo transformado naquele momento”, avalia ainda na apresentação do livro que reúne mais de 30 poesias.

No começo, para ser ouvido, Bráulio revolveu adaptar seus versos para o teatro da escola e logo estava conquistando prêmios em cidades vizinhas. A guinada se deu quando visualizou nas redes sociais uma espécie de feira moderna onde podia publicar vídeos de cordéis e poemas sobre vários temas, como medo, preconceito, amor, depressão, identidade. Foi quando percebeu não apenas o poder da internet mas também a força das palavras.

“O problema não é a rede social, mas quem se deita nessa rede”, costuma brincar.

Sextante/DivulgaçãoSinceridade e pureza
Para ganhar a vida, o poeta trabalhava como técnico de computação, mas não deixava de alimentar sua página Nação Nordestina, no Facebook, com vídeos sobre a valorização da cultura da região. Não demorou muito e virou campeão de seguidores na internet com milhões de fãs. Foi quando a equipe do programa Encontro com Fátima Bernardes viu o material, gostou e escalou Bessa como atração fixa todas às sextas-feiras. Era o ano de 2015.

Com estilo – até pelas suas origens e influência – calcado na literatura de cordel, os poemas de Bráulio falam fundo no coração e mente das pessoas. Um ingrediente poderoso que salta aos olhos do leitor é a sinceridade e pureza da narrativa do poeta, que tem o dom de falar não o que as pessoas querem ouvir, mas o que precisam ouvir. São orações do cotidiano enfeitadas de palavras de incentivo, como aquele que o autor chama de seu “clássico”, Recomece.

“Quando a falta de esperança decidir lhe açoitar / Se tudo que for real for difícil suportar… / É hora do recomeço. Recomece a SONHAR”, diz um dos trechos da obra.

É por essas e outras que o autor é chamado de “psicólogo” do sertão, conselheiro do Nordeste, e sua poesia classificada de autoajuda. Rótulos que Bessa, já chamado de o “Paulo Coelho da poesia”, para não deixar passar outro estereótipo, tira de letra. Para o cearense, importa mesmo é que a poesia está em evidência e sua mensagem, como naquela canção do Bob Dylan, soprando ao vento.

Poesia que Transforma
De Bráulio Bessa. Editora Sextante, 192 páginas, R$ 29,90

Trecho de É Preciso Mudar

(…)

O tempo é um piloto louco

Que gosta de acelerar

Não vê placas nem sinais

E sempre vai avançar.

Modificando o sentido

Faz “viver” virar “vivido”

Basta um segundo passar.

 

Pra mudar basta existir

Ninguém pode controlar

Pois tudo que é vivo muda

Viver é se transformar.

Viver é evoluir

E ao deixar de existir

Até morrer é mudar.

Mais lidas
Últimas notícias