Emicida, no palco do Lollapalooza: “Bolsonaro, vai tomar no c*”

Neste domingo (27/3), ministro do TSE proibiu que artistas se manifestem politicamente durante o festival Lollapalooza

atualizado 27/03/2022 13:32

Emicida, no palco do LollapaloozaReprodução/ Multishow

São Paulo – Durante apresentação no Lollapalooza no último sábado (26/3), Emicida xingou o presidente Jair Bolsonaro (PL) e pediu que os jovens acima de 16 anos façam o título de eleitor. “Bolsonaro, vai tomar no c*”, disse o artista, sendo aplaudido por seu público.

“Se você tem de 15 a 18 anos, tire o título de eleitor”, disse Emicida, antes de mencionar Bolsonaro.

No sábado, o PL, partido do presidente, acionou o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pedindo que os artistas que se apresentarem no festival sejam proibidos de se manifestar politicamente.

A legenda alegou que a artista Pabllo Vittar, que se apresentou na sexta (25/3), fez propaganda eleitoral antecipada ao falar mal de Bolsonaro e estender uma bandeira com o rosto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) durante seu show.

Na madrugada deste domingo (27/3), o ministro Raul Araújo acolheu o pedido do partido e determinou que fica vedada a realização ou manifestação de propaganda eleitoral em favor de qualquer candidato ou partido político por parte dos músicos que se apresentem no Lollapalooza.

O festival continua hoje, com apresentação de artistas como The Libertines, DJ Alesso, Marina Sena, Djonga, Planta e Raiz, Fresno, Gloria Groove, entre outros.

Mais lidas
Últimas notícias