Conheça Key Alves, atleta que fatura mais no OnlyFans do que no vôlei

Jogadora profissional do Osasco Voleibol Clube, a jovem de 22 anos diz não pretender abandonar o esporte

atualizado 23/07/2022 16:26

Instagram/Reprodução

Não é de hoje que o OnlyFans vem fazendo sucesso entre as subcelebridades dentro e fora do Brasil. De olho no alto faturamento, um novo nicho de profissionais decidiu produzir vídeos e fotos eróticas: as atletas. Uma das principais representantes é Key Alves, jogadora de vôlei profissional que tem ganhado mais dinheiro na rede social do que no Osasco Voleibol Clube, equipe pela qual atua.

Nascida em São Paulo, Key tem 22 anos e foi reprovada em 10 peneiras antes de conseguir uma vaga no vôlei. A atleta é reserva de Camila Brait, que atua no Osasco há 14 anos e somou passagem pela Seleção Brasileira. Ao Uol, ela afirmou que não pensa em abandonar o esporte. Mas é no OnlyFans de onde tira o sustento para a família. “Esse dinheiro é fácil, eu faço sentada no sofá da minha casa”, disse a jogadora, que recebe cerca de R$ 100 mil por mês só com a plataforma de conteúdo adulto.

“Eu nunca vi tanto dinheiro de perto. Sou de família humilde, meus pais moram na favela até hoje. Graças a Deus, com essas condições que tenho, a vida deles está mudando”, comemora. O OnlyFans não é a única mídia onde a jogadora faz sucesso: só no Instagram são mais de 3 milhões de seguidores. De lá também surgem convites para propagandas e patrocínios.

Veja fotos
Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

Key Alves conta que a vontade de criar o perfil no OnflyFans surgiu quando ela foi eleita a jogadora de vôlei com mais seguidores nas redes sociais no mundo. “Pensei que precisava aproveitar o barulho e ganhar dinheiro em cima disso. Por coincidência, um empresário me mandou uma mensagem me dizendo que ele cuidava da plataforma e que eu tinha que fazer um perfil. Eu já postava fotos sensuais no Instagram e podia lucrar com elas. Eu topei. Só disse que não faria fotos nua, que não é do meu caráter, eu tenho família. Talvez mais para frente, agora não”, concluiu.

Mais lidas
Últimas notícias