Movimento acusa Netflix de promover pedofilia e pede boicote do canal

Internautas acusam o serviço de streaming de sexulizar crianças em material de divulgação do filme Cuties

atualizado 10/09/2020 16:53

#CancelNetflix

A polêmica envolvendo a sexualização de meninas no filme Cuties, produzido originalmente pela Netflix, continua. Nesta quinta-feira (10/09) a hashtag #CancelNetflix foi parar entre os assuntos mais comentados do Twitter nos Estados Unidos e no Brasil após trechos do trailer viralizarem na web. O movimento, de origem conservadora, alega  que o conteúdo estrelado por meninas de 11 anos seria de conotação sexual e estaria incentivando crimes contra menores e “comportamentos pedófilos”.

A campanha contra a gigante do streaming começou em meados de agosto, após a divulgação do trailer e do pôster oficial de Cuties.Após a polêmica, a Netflix  se pronunciou dizendo sentir “profundamente pela arte inadequada” usada para promover o filme.

“Não estava certo, nem representava esse filme francês que ganhou um prêmio no Sundance. Agora atualizamos as imagens e a descrição”, assinalou a empresa, em sua conta no Twitter. Após o posicionamento, o resumo original do filme foi atualizado pelo serviço.

0

No festival mencionado pela Netflix, o longa franco-africano do diretor e escritor Maïmouna Doucouré foi elogiado por “adotar um olhar crítico para a forma como a cultura moderna sexualiza jovens garotas”. O realizador recebeu o prêmio de estreia.

No entanto,  críticos ao filme acreditam que a empresa deu mais ênfase em aspectos sexuais do elenco do que ao enredo. Até o momento, o movimento reuniu mais de 600 mil assinaturas em uma petição da Change.org, intitulada Cancelar Assinatura da Netflix. Na petição, os organizadores acusam o filme de explorar crianças, vesti-las de maneira provocante e fazê-las dançando sexualmente.

Últimas notícias