*
 

Finalizada a mostra competitiva, o 49º Festival de Brasília chega ao seu encerramento nesta terça (27/9), às 19h, em cerimônia de premiação somente para convidados. Também serão conhecidos os vencedores do Troféu Câmara Legislativa do Distrito Federal, destinado às produções selecionadas para a Mostra Brasília.

Além da entrega do troféu Candango, o Cine Brasília exibe “Baile Perfumado”, que comemora 20 anos desde sua vitória na mostra, e acolhe a entrega da recém-criada medalha Paulo Emílio Salles Gomes a Jean-Claude Bernardet.

Fred Jordão/Divulgação

“Baile Perfumado”: retorno ao festival 20 anos depois

 

Homenagens
Dirigido por Paulo Caldas e Lírio Ferreira, “Baile” se desenha como uma espécie de fábula sobre Lampião e seus seguidores. Na trama, o libanês Benjamin Abrahão se fixa no Brasil no início do século 20. Segue o Padre Cícero e, depois, tenta registrar as expedições de Virgulino Ferreira, o Lampião, pelo cangaço.

Vencedor do festival em 1996, o filme se tornou um marco do cinema pernambucano antes do auge do estado nos anos 2000 e 2010, por meio dos filmes de Cláudio Assis, três vezes premiado com o Candango, e Kleber Mendonça Filho (“Aquarius”). Durante a mostra, foi lançado o livro “A Aventura do ‘Baile Perfumado’: 20 Anos Depois”, organizado por Amanda Mansur e Paulo Cunha.

Divulgação

“A Destruição de Bernardet” (2016), de Claudia Priscilla e Pedro Marques

 

Em constante metamorfose, o crítico Jean-Claude Bernardet já venceu o Candango por sua faceta recente de ator (“FilmeFobia”) e como roteirista (“Hoje”, “Um Céu de Estrelas” e “O Caso dos Irmãos Naves”).

Desde que passou a protagonizar filmes e a trabalhar com jovens diretores, o festival vem acompanhando Bernardet ainda mais de perto. Premiou “FilmeFobia” como melhor filme e acolheu performances do ator-crítico em “Pingo d’Água” (2014) e “Fome” (2015). Em 2016, ele retornou com mais um longa, agora fora de competição: a biografia incomum encenada em “A Destruição de Bernardet”.

No último dia do festival, Bernardet sobe ao palco do Cine Brasília para ser a primeira personalidade de cinema a receber a medalha Paulo Emílio Salles Gomes, criada para esta edição da mostra.

Destaques de terça (27/9) no Festival de Brasília:

Mostra “Cinema Agora!”, entrada franca
14h – “Não Me Fale Sobre Recomeços” (PR, 70min, 12 anos), de Arthur Tuoto
15h30 – “Pedro Osmar, pra Liberdade que Se Conquista” (SP, 76min, 10 anos), de Eduardo Consonni e Rodrigo T. Marques

17h – Sessão Especial, entrada franca, reprise no Cine Cultura Liberty Mall
“Beduíno” (RJ, 75min, 12 anos), de Julio Bressane

19h – Solenidade de premiação no Cine Brasília, entrada para convidados
Entrega da medalha Paulo Emilio Salles Gomes a Jean-Claude Bernardet e exibição de “Baile Perfumado” (PE, 1996, 93min, 16 anos), de Paulo Caldas e Lírio Ferreira

49º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro
Até terça (27/9), no Cine Brasília (Entrequadra 106/107 Sul, 3244-1660). Mostra competitiva: R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia). Entrada franca em mostras paralelas e sessões especiais. A classificação indicativa varia de acordo com os filmes. Programação completa e agenda de reprises no site oficial.

 

 

COMENTE

festival de brasíliajean-claude bernardetfestival de brasília 201649º festival de brasíliabaile perfumado
comunicar erro à redação

Leia mais: Cinema