*
 

Às vezes, o silêncio da madrugada é perfeito para confissões que não seriam feitas tão facilmente durante o dia. Talvez por isso, foi na madrugada deste domingo (8/3) que, pela primeira vez no BBB18, Kaysar decidiu falar sobre as pessoas que perdeu na Síria, enquanto conversava na cama com Jéssica. “Me dá dor no meu coração quando lembro dos amigos que perdi na guerra”, disse o refugiado sírio, puxando o assunto com a personal trainer.

“Penso assim, se eu estivesse lá com eles, talvez estaria também morto”, desabafou Kaysar. Ele contou que perdeu a maior parte dos amigos para a guerra. “Perdi tantas amizades, tantas pessoas perto de mim, eram muitos amigos”, contou. Kaysar pôde recomeçar a vida em um país que considera pacífico, oportunidade que muitos não tiveram. Por isso, ele é eternamente grato.

O brother também contou sobre uma namorada que perdeu na guerra. Segundo ele, a relação de amor dos dois começou muito bem e terminou em tragédia. “A história minha com minha primeira namorada foi ótima, linda, maravilhosa. E como acabou? Péssimo”, disse. “Até conseguir conquistar o coração dela, segurar a mão dela, eu demorei tanto tempo e aí… Como acabou a história, é ruim quando eu lembro. É pesado. Ela morreu, sabe? Mas do jeito que ela foi é uma coisa ruim. Não sei porque estou falando agora, mas é pesado, não sei quantas balas ela levou”.

Mas essa não foi a única história recordada por ele. “Uma das piores: meu amigo tava falando com a mãe dele, falando parabéns no Dia das Mães, e levou bala na cabeça dele. Morreu. Quantas vezes essa lembrança vem na minha cabeça… Me dá uma tristeza e, ao mesmo tempo, agradeço muito que não aconteceu isso comigo, estou vivo até agora. Tenho outros amigos que já eram, outros que foram sequestrados, furaram o corpo deles, outro cortaram pedaços e jogaram fora. Umas coisas pesadas”, ele falou, dizendo que é muito ruim se lembrar dessas coisas.

Kaysar disse que teve a oportunidade de seguir um caminho bem diferente em sua vida, mas que às vezes se pergunta se não deveria estar com sua família e encarar o sofrimento junto deles. “Aguentar o choro da minha mãe, que nunca chorou na minha frente, no telefone. E meu pai, que eu sei que às vezes não conversa comigo porque sente minha falta. Também sinto falta dele”, desabafou.

O refugiado também confessou que havia um motivo por trás de sua simpatia com Caruso, participante já eliminado do BBB18. “Tinha um amigo igual a ele, bem parecido, que morreu. Nunca falei isso. Morreu na guerra. E, quando vi, Caruso era igual a ele, isso me deu uma coisa pesada. Fiz amizade com ele, dava risada, não consegui ficar bravo com ele, chateado, porque cada vez que olhava para ele, lembrava do meu amigo”.

O sírio pareceu surpreso com suas próprias confissões. “Não sei por que hoje quis falar isso”, confessou. “Que bom que tu tá aqui”, respondeu Jéssica. “Muito bom, por isso falo que ninguém me tira daqui, do Brasil, só Deus. Por isso defendo muito o Brasil”, ele respondeu.

“Tu foi a primeira pessoa que conheci que fugiu de uma guerra”, Jéssica comentou. “Tomara que o último, é ruim”, falou.