*
 

Tônia Carrero morreu aos 95 anos, neste sábado (3/2), no Rio de Janeiro. De acordo com informações da família, a atriz não resistiu a uma parada cardíaca durante cirurgia.

Tônia estava internada em uma clínica particular na Gávea, na Zona Sul do Rio de Janeiro. Ela tratava de uma úlcera no sacro.

O velório está previsto para este domingo (4) e a cremação será nesta segunda-feira (5). Tônia é um dos ícones da dramaturgia brasileira. Mãe do ator Cécil Thiré, deixa netos e bisnetos.

Carreira impactante
Tônia é uma das atrizes mais importantes das artes cênicas brasileiras. Ao longo da carreira, participou de 54 peças, 19 filmes e 15 novelas — com papéis marcantes na telinha, a exemplo de Rebeca, em Sassaricando (1987),

A última participação em novelas foi em Senhora do Destino (2004), quando fez uma pequena ponta como Madame Berthe, a dona do Bordel no qual trabalhava Nazaré Tedesco (Renata Sorrah).

Nos palcos, esteve pela última vez na peça Um Barco para o Sonho (2007). No espetáculo, a atriz foi dirigida pelo neto Carlos Thiré. A despedida do cinema foi em 2008 no longa Chega de Saudade.

Estadão Conteúdo

Tônia Carrero no set de Chega de Saudade

De educadora física a atriz
Maria Antonieta Thedim nasceu em 23 de agosto de 1922. Filha de Hermenegildo Portocarrero e Zilda de Farias Portocarrero. Nascida em uma família de militares, Tônia primeiramente formou-se em Educação Física, no ano de 1941.

A formação artística foi feita em Paris, para onde se mudou com o marido: o artista plástico e diretor de cinema Carlos Arthur Thiré (1917-1963). Na volta ao Brasil, com 25 anos, Tônia estreou nas telonas, com o filme “Querida Suzana”, de Alberto Pieralise.

Cedoc/Funarte

Tônia Carrero e Paulo Autran no espetáculo Seis Personagens à Procura de um Autor, em 1959

O início nos palcos ocorreu em 1949, na peça Um Deus Dormiu Lá em Casa. Ao lado de Paulo Autran, Tônia foi dirigida por Adolfo Celi, que viria a se tornar o segundo marido da atriz.