Ator Rutger Hauer, de Blade Runner, morre aos 75 anos

Artista holandês também trabalhou em filmes como O Feitiço de Áquila (1985) e A Lenda do Santo Beberrão (1988)

Stuart C. Wilson/Getty ImagesStuart C. Wilson/Getty Images

atualizado 24/07/2019 14:59

O ator Rutger Hauer, conhecido principalmente por viver o replicante Roy Batty em Blade Runner: O Caçador de Androides (1982), morreu aos 75 anos. Segundo informações repassadas por seu agente, Steve Kenis, a veículos de imprensa de Hollywood, ele faleceu no dia 19 de julho e o funeral foi realizado somente hoje. O artista holandês ainda atuou em dezenas de outros filmes importantes, como O Feitiço de Áquila (1985) e A Lenda do Santo Beberrão (1988). A causa não foi divulgada oficialmente.

Carreira

Nascido em Breukelen, cidade próxima à capital holandesa, Amsterdã, Hauer começou a carreira no final dos anos 1960. Seus primeiros papéis importantes foram justamente em filmes de Paul Verhoeven. Ambos virariam, em poucos anos, estrelas de Hollywood.

Antes de estourar mundialmente vivendo o vilão Roy Batty, antagonista de Rick Deckard (Harrison Ford) na ficção científica Blade Runner, e protagonizar um dos grandes monólogos do cinema (vídeo abaixo), Hauer trabalhou com Verhoeven em Louca Paixão (1973), O Amante de Kathy Tippel (1975), Soldado de Laranja (1977), Sem Controle (1980) e Conquista Sangrenta (1985), primeiro longa do diretor falado em inglês antes de sua frutífera trajetória nos EUA com RoboCop (1987), O Vingador do Futuro (1990) e  Instinto Selvagem (1992), entre outros títulos.

Sua porta de entrada na indústria americana se deu em Falcões da Noite (1981), policial protagonizado por Sylvester Stallone no qual interpretou um terrorista. O principal prêmio recebido na carreira foi o Globo de Ouro pela atuação no telefilme A Nação do Medo (1984), baseado no livro de Robert Harris (O Escritor Fantasma).

Entre filmes pop e alternativos

Apesar de ter seu rosto filiado a vários filmes pop de Hollywood nos anos 1980, como O Feitiço de Áquila (1985), A Morte Pede Carona (1986) e Fúria Cega (1989), vale lembrar que o próprio Blade Runner teve bilheteria ruim e demorou anos até ser reconhecido como um clássico sci-fi.

Hauer sempre gostou de equilibrar papéis nos EUA com filmes europeus e alternativos. No fim da década de 1980, estrelou A Lenda do Santo Beberrão (1988), drama do italiano Ermanno Olmi que venceu o Festival de Veneza. Foi dirigido novamente pelo cineasta em A Aldeia de Cartão (2011).

Entre os vários papéis conhecidos, atuou em Buffy, a Caça-Vampiros (1992), que o roteirista Joss Whedon (do primeiro Vingadores) transformou em uma famosa série anos depois, Confissões de uma Mente Perigosa (2002), dirigido por George Clooney, Batman Begins (2005), Sin City (2005), Valerian (2017) e em séries como Smallville, True Blood, Channel Zero e Porters.

Ativismo

Defensor de causas sociais, Hauer patrocinou iniciativas como as da ONG ambiental Greenpeace. Fundou a Starfish Association, dedicada à conscientização da Aids.

Foi casado por 50 anos com Ineke ten Cate e deixa uma filha, a atriz Aysha Hauer, do casamento com Heidi Merz.

Últimas notícias