metropoles.com

“Feud” e a luta das mulheres mais velhas em filmes e séries

“Feud”, do FX, coloca Jessica Lange e Susan Sarandon nos papéis das rivais Joan Crawford e Bette Davis e levanta debate no entretenimento

atualizado

Compartilhar notícia

Reprodução/EW/Robert Trachtenberg
susan sarandon jessica lange, série feud
1 de 1 susan sarandon jessica lange, série feud - Foto: Reprodução/EW/Robert Trachtenberg

“Feud”, nova série do canal “FX” e de Ryan Murphy (“Glee”, “American Horror Story”), resgata uma das rivalidades mais comentadas da história do cinema. Estrelas nos anos 1930 e 1940, Joan Crawford e Bette Davis nutriam ódio uma pela outra. Com estreia marcada para 5 de março nos Estados Unidos, o seriado reacende o debate sobre a luta das mulheres mais velhas em Hollywood.

Anos depois, as atrizes se reencontraram no filme “O que Terá Acontecido a Baby Jane?” (1962), sobre duas estrelas decadentes em Hollywood. As contendas formam a trama de “Feud”, em que Jessica Lange, de 67 anos, vive Joan, e Susan Sarandon, 70, interpreta Bette.

Apesar de focalizar rusgas envolvendo dois nomes clássicos e famosos, “Feud” é um bom ponto de partida para retomar a discussão sobre a falta de bons papéis para mulheres mais velhas em Hollywood, no cinema e nas séries.

Paul Drinkwater/NBCUniversal via Getty Images
Meryl Streep fez discurso anti-Trump no Globo de Ouro

 

Resistência feminina
Elas costumam viver donas de casa, vovós ou tipos cômicos e vilanescos. Quase sempre em ambiente familiar. E ainda ganham menos que os homens. É um reflexo da supremacia masculina na indústria, sobretudo nas funções de roteirista e diretor. Na premiação do Globo de Ouro, Meryl Streep recebeu uma homenagem pela carreira e usou o microfone para declarar guerra ao presidente Donald Trump.

Ele recorreu ao Twitter para, entre outras coisas, chamar a atriz de “superestimada”. Justo Meryl, talvez a mulher mais prestigiada da indústria de entretenimento – e já há uns bons anos. Essa demonstração de desprezo sinaliza a diferença de tratamento entre os gêneros.

Não à toa, Madonna fez outro discurso inflamado durante a Marcha das Mulheres (Women’s March). O alvo foi, novamente, Trump, dono de um currículo de declarações misóginas e comportamentos machistas. Em dezembro, quando recebeu prêmio da “Billboard”, a cantora comentou que “envelhecer é pecado se você é mulher”.

Ao mesmo tempo, várias produções recentes, dentro e fora de Hollywood, indicam uma resistência aos clichês. Mulheres mais velhas surgem em papéis que falam abertamente sobre carreira, sentimentos e vida sexual:

Netflix/Divulgação

“House of Cards”
Não é só nos bastidores da política que Carrie Underwood, a esposa do político Frank, luta por voz e espaço. Nos bastidores, a atriz Robin Wright, 50 anos, exigiu dos produtores salário igual ao de Kevin Spacey – e teve sua solicitação atendida.

Arte/Vitrine Filmes/Sony/Zeta Filmes

“Aquarius”, “Elle e “O que Está Por Vir”
Os três filmes terminaram 2016 em várias listas de melhores do ano, incluindo a do Metrópoles. O brasileiro “Aquarius”, além de todo o tom crítico em relação à especulação imobiliária, dedica-se a perfilar a vida de uma mulher (Sonia Braga) de mais de 60: memórias dolorosas, família, prazer e sexualidade.

O mesmo é visto nas personagens de Isabelle Huppert nos franceses “Elle”, pelo qual está indicada ao Oscar de melhor atriz, e “O que Está por Vir”: mulheres lidando com seus próprios traumas do passado e perversões do presente (“Elle”) e fundando uma nova vida após o fim do casamento (“O que Está por Vir”).

Netflix/Divulgação

“Grace and Frankie”
As veteranas e talentosas Jane Fonda (“Amargo Regresso”) e Lily Tomlin (“Nashville”) vivem uma dupla que precisa reorganizar as coisas após o anúncio inesperado dos respectivos maridos. Os dois revelaram que estão apaixonados e decidiram se casar. Grace (Jane) e Frankie (Lily), então, inauguram uma nova fase na carreira e vida pessoal.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comEntretenimento

Você quer ficar por dentro das notícias de entretenimento mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações