Com cabeça fria e estratégia, ainda dá tempo de passar de ano

Momento agora é de ajudar seu filho a organizar o tempo, mostrar as melhores estratégias de estudo e supervisionar diariamente as atividades

atualizado 17/10/2018 7:34

IStock

Lembro-me de quando recebi meu boletim do terceiro bimestre, da 8ª série do antigo primeiro grau. A única coisa que me passava pela cabeça era: estava reprovada! Fiquei de recuperação e precisava de muita nota!

No caminho que compreendia a escola e a minha casa, tive incontáveis diálogos imaginários com os meus pais, tentando sem muito sucesso explicar o porquê de não conseguir passar de ano. Quando cheguei em casa, corri e entreguei o meu boletim para a minha mãe.

Ela, pragmática, sentou e pegou uma calculadora. Fez algumas continhas e disse: “É certo que você ficou de recuperação final em matemática e português. Nas demais disciplinas, precisa de poucos décimos para atingir a média. No quarto bimestre, além da obrigatoriedade de tirar a média nas disciplinas em que tem dificuldade, você precisará tirar um pouquinho a mais para compensar os demais bimestres. Se fizer isso, possivelmente você passará de ano”.

Minha mãe fez o que acredito ser o mais correto. Analisar com cabeça fria, estratégia e amorosidade. Hoje, com a experiência que tenho, acrescentaria apenas que a análise das notas deveria ter sido feita com a minha participação, afinal, era eu a responsável pelas notas.

Sabe aquele discurso que você quer dar neste momento? Que é uma falta de respeito com o seu dinheiro? Que seu filho só estuda e como ele ainda consegue ficar de recuperação em várias disciplinas? Então, guarde ele para você: o momento agora é ajudá-lo na organização do tempo, mostrar as melhores estratégias de estudo e supervisionar diariamente o que está sendo feito. Você terá a oportunidade de conversar com o seu filho quando finalizar o ano.

Afinal, em pleno outubro, ainda dá tempo para passar de ano? Sim, com certeza!

Primeiramente, analise juntamente com ele as notas, considerando como elas são compostas pela escola. Em absolutamente quase todos os casos, ainda é possível passar.

Avalie se existe alguma disciplina que seu filho, independentemente da nota que ele tirar no 4º bimestre (ou para algumas escolas, no 3º trimestre), ficará de recuperação de qualquer jeito. Se houver uma ou várias disciplinas nesta situação, elas deverão receber menos atenção do seu filho. Repito, menos atenção. Isso não quer dizer que é para ignorar, ok?

Este momento é decisivo, é necessário pragmatismo nos estudos. Como pai, chegou sua hora! Não de estudar pelo seu filho ou estudar com ele, mas ajudá-lo nas estratégias.

Neste momento, é importante separar as provas antigas feitas este ano, avaliar quais conteúdos ele errou mais e criar repertório de exercícios para ele fazer. Isso será decisivo para o sucesso nas provas de recuperação.

Outra boa dica é ir na escola, pedir para a coordenação as provas de anos anteriores daquela disciplina e filtrar as questões cobradas nos conteúdos que seu filho está de recuperação. Se você não consegue fazer isso, contrate um professor para esta análise

Refazer provas anteriores, no meu ponto de vista, é uma das melhores estratégias de estudo. Faz o estudante se familiarizar com o estilo da prova e saber como é cobrado aquele conteúdo na forma de exercício.

Outra maneira de ajudá-lo é definir quantas horas serão dedicadas por dia para cada disciplina, como estudar cada matéria, ensiná-lo a fazer mapa mental, apresentar aplicativos que possam ajudá-lo neste momento e, acima de tudo, supervisionar os estudos.

Últimas notícias