Vídeo: após cirurgia, menina volta a dançar com bombeiros do DF

Dulce Maria Pereira e a banda do CBMDF viralizaram na internet com vídeo de samba na véspera da operação da menina, no Hospital da Criança

Hugo Barreto/Metrópoles

atualizado 04/12/2019 11:12

Uma recuperação para ser comemorada com muito pagode. Assim, a menina Dulce Maria Pereira, de 8 anos, recebeu novamente uma visita do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) nesta quarta-feira (04/12/2019), junto a outras crianças, no Hospital da Criança de Brasília José Alencar (HCB).

No dia 20 de novembro, a banda da corporação fez a alegria de dezenas de pacientes e acompanhantes. Dulce estava na véspera de uma cirurgia de retirada de tumor na cabeça. Naqueles dias, a criança estava muito apreensiva com o procedimento. Até que ouviu a música Cheia de Manias, da banda Raça Negra.

Dulce fez a operação e se recupera muito bem. Para celebrar, mais uma vez, os bombeiros foram ao hospital, que se encheu com um clima de alegria e energia contagiante, novamente com a música Cheia de Mania. A garotinha se aproximou da banda e começou a dançar.

Veja o vídeo desta quarta-feira:

O sargento Cícero, que dançou com a garotinha antes do procedimento em novembro, era só sorriso. “Eu estou me sentindo muito bem, extasiado. A gente tenta levar alegria e cultura pra todos os pacientes dos lugares que vamos”, afirmou o militar, referindo-se ao projeto Mais que salvar vidas, um pacto de amor com a sociedade.

Dentro do projeto existe a iniciativa A banda até você, que começou em junho deste ano. Ele tem o objetivo de levar música para a comunidade brasiliense. “A banda visita hospitais e asilos, aliviando a tensão dos pacientes. A gente faz isso uma vez por mês e é muito gratificante para todos os envolvidos” comentou o coronel Barcelos, responsável pela ação.

O sargento Da Mata corrobora o discurso: “Para nós é um privilégio trabalhar com música e arte. Às vezes, esquecemos do poder que tem de mudar a realidade das pessoas. Não conhecíamos a história da Dulce e, depois de fazer parte da alegria dela, valeu o ano inteiro”.

Imagens da ação realizada no HCB:

0

Cícero lembra da visita de novembro e do vídeo que viralizou na internet. “Minha reação, quando vi o alcance do vídeo foi: o amor vence. Para mim, valeu muito a pena. Estou cheio de energia boa”, afirmou o sargento, que tocava pandeiro enquanto dançava com todas as crianças.

Dulce foi pega de surpresa pela visita nesta quarta-feira. “Eu estou muito feliz. Amo Raça Negra, é minha banda preferida! Estou animada e quero dançar “ disse a menina, deixando a reportagem de lado, correndo para junto da banda e caindo no samba.

Confira o vídeo feito no primeiro encontro de Dulce com os bombeiros:

A história de Dulce

A mãe da garotinha, Ana Maria Oliveira Silva, 42, sorria ao lado. Mas lembra do sofrimento ao descobrir a doença da filha. “A gente foi ao salão fazer unha e cabelo. Almoçamos. Era um dia normal. De repente, ela disse que a cabeça dela estava doendo”.

Ana Maria deu uma dipirona infantil a Dulce, que vomitou. “Continuou passando mal, reclamando da dor de cabeça. Depois de alguns dias persistindo os sintomas, a levamos para o hospital. Ela reclamou muito da dor, ficou amarela, com a boca roxa. Foi internada e fez a tomografia. Aí, começou tudo”, conta a mãe.

Dulce tinha um tumor no cérebro. Ela seguiu direto para uma cirurgia a fim de estancar um coágulo. Antes da segunda cirurgia, ela encontrou os bombeiros.

“Hoje, a Dulce está bem, fazendo exame de rotina. Estamos mais tranquilas”, aponta Ana Maria, com o apoio da equipe do hospital. Entre eles, o doutor Paulo Augusto Leão, 29. Ou, simplesmente, Doutor Paulinho, como Dulce o chama.

“Receber uma notícia de tumor cerebral é muito difícil para uma família. Esse projeto (dos bombeiros) ajuda a aliviar a tensão do processo e até o pós-operatório”, explica. O médico conta que ela chegou no HCB em estado grave. “Ela estava com hidrocefalia. Melhorou e, logo depois, programamos a cirurgia maior”, lembra.

Últimas notícias