Vídeo. Aluno se irrita com resposta e agride professor no DF

Caso aconteceu na segunda-feira (25/2) no Centro de Ensino Fundamental 25 de Ceilândia. Jovem será transferido para outra escola

Reprodução/VídeoReprodução/Vídeo

atualizado 27/02/2019 15:00

Um professor de matemática do Centro de Ensino Fundamental 25 (CEF 25) de Ceilândia foi agredido com socos e pontapés por um aluno da unidade educacional. De acordo com depoimento prestado pelo docente Giuliano Rodrigues Santos, 36 anos, na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), o jovem teria se irritado com a resposta dada por ele durante uma aula de raciocínio lógico.

Aos policiais, Giuliano relatou que ministrava a aula para alunos da 5ª série quando o estudante, de 16 anos, discordou da resposta dada e o confrontou verbalmente. Quando foi repreendido pelo seu comportamento, o adolescente, então, “embolou o papel da atividade e arremessou contra seu rosto”, segundo informou a PCDF.

Após o incidente, Giuliano retirou o jovem de sala e o acompanhou pelo corredor, quando o adolescente “se virou e lhe desferiu um soco em seu rosto e um chute”, conforme depoimento prestado. A agressão ocorreu na última segunda-feira (25/2) e foi registrada pelas câmeras do circuito interno da escola.

Nas imagens (veja abaixo), é possível observar o momento exato em que o professor acompanha o adolescente pelo corredor. Quando ele se vira, agride o docente.

Procurada pela reportagem, a Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEE-DF) confirmou o ocorrido, mas o classificou como “um caso pontual”. A pasta disse ter disponibilizado apoio psicológico necessário ao professor e orientou que o docente registrasse boletim de ocorrência e fizesse exames de corpo de delito “para tomar as medidas cabíveis”.

A pasta também informou que o agressor está suspenso e não estudará mais no CEF 25. “Será transferido de escola para evitar possíveis conflitos. A transferência de estudantes em casos de conflito dessa natureza é uma recomendação da Promotoria de Justiça de Desfesa da Educação, para evitar situações semelhantes entre as partes no ambiente escolar”, acrescentou.

 

 

 

 

 

Últimas notícias