TCDF suspende licitação para modernizar sistemas de controle do metrô

Objetivo da contratação é reduzir falhas de sinalização e aumentar a segurança dos usuários. Propostas deveriam ter sido abertas em 11/4

atualizado 05/05/2022 14:57

Metrô DF Hugo Barreto/Metrópoles

O Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) suspendeu o edital de licitação para a modernização dos sistemas de controle do metrô. A abertura das propostas estava marcada para o último dia 11/4. O objetivo da contratação é reduzir falhas de sinalização e aumentar a segurança dos usuários que se deslocam usando o transporte. O investimento previsto é de R$ 12.704.701.

Segundo a Companhia do Metropolitano do DF (Metrô-DF), o Tribunal de Contas pediu mais informações técnicas a respeito dos serviços a serem executados. A empresa explicou “que está prestando os devidos esclarecimentos para dar prosseguimento à licitação”. O TCDF, por sua vez, informou que o processo tramita em segredo e não pode dar detalhes do motivo da suspensão.

A licitação prevê mudanças nos sistemas de Sinalização e de Controle de Tráfego (SCT), que permitem acompanhar o deslocamento dos trens. Eles são responsáveis por enviar a informação da localização de cada trem na via para o Centro de Controle.

Com a modernização, o sistema deve operar oferecendo mais seguranças aos passageiros, controlando a velocidade dos trens, bem como a distância entre eles, entre outros mecanismos. Quem utiliza o sistema de transporte sabe que atrasos e falhas não são raros no metrô.

De acordo com dados da própria companhia, em 2020 foram registrados 41 incidentes notáveis, quando falhas no sistema provocam atrasos superiores a 15 minutos na operação. Em 2021, foram 37 ocorrências. Nos três primeiros meses deste ano, são 10 registros.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
0

 

Ainda de acordo com o edital de licitação, serão adquiridos software de gerenciamento, além dos serviços de instalação, configuração, migração e virtualização de servidores dos postos de Controle Locais de Tráfego (PCT) e dos clusters, que são dois computadores cuja principal função é a redundância – ou seja, se uma parar, o outra passa a funcionar e o sistema não para.

Também estão previstos treinamento, capacitação e transferência de tecnologia para a operação dos servidores. O Metrô-DF transporta por dia cerca de 160 mil usuários em 24 vagões, ligando a área central de Brasília a Ceilândia, Samambaia, Taguatinga, Águas Claras e ao Guará.

Stefany Serra é estagiária do Programa Mentor e está sob supervisão da editora Maria Eugênia

Mais lidas
Últimas notícias