Cartas ao Papai Noel: crianças do DF pedem peru, fraldas e patins

Federação Habitacional do Sol Nascente celebrará Natal com as crianças no dia 21/12/2019, mas ainda procura padrinhos para realizar sonhos

atualizado 06/12/2019 21:17

Rafaela Felicciano/Metrópoles

“Nada é mais gratificante do que ver o sorriso no rosto dessas crianças em uma data tão especial como o Natal”, é o que diz a fundadora e presidente da Federação Habitacional do Sol Nascente (Fehsolna), Edilamar de Souza e Souza Correia, 47 anos. Nesta época do ano, a instituição disponibiliza cartinhas de mais de 600 meninas e meninos que desenham e escrevem seus pedidos ao Papai Noel.

A ideia nasceu da própria Edilamar. O objetivo é realizar os sonhos das crianças que não têm condições de ganhar presentes em suas casas.

Para a ação solidária, a monitora conta com o apoio da população e de parceiros. Quem está disposto a colaborar pode entrar em contato com a entidade para retirar as mensagens identificadas com os nomes das crianças e o que elas desejam ganhar.

Os pacotes podem ser entregues na própria instituição, responsável por distribuir toda a arrecadação em uma festa no próximo dia 21 de dezembro. Não há limite de número de cartas para uma pessoa apadrinhar.

Desejos de Natal

0

 

Entre brinquedos, jogos, roupas, bolas de futebol e bonecos de super-heróis, alguns pedidos comovem pela simplicidade.

“Sou uma princesa muito inteligente e cheia de sonhos. Tenho 6 anos e moro no Sol Nascente. Neste Natal queria ganhar um tênis ou vestido para usar na noite do dia 25. Muito obrigada, desde já. Que Deus abençoe meus padrinhos”, pede Eloá, também assistida pela Fehsolna.

Segundo Edilamar, um pedido em especial, no entanto, chamou atenção dos padrinhos em 2019. No papel, um pequeno garotinho de 5 anos diz ao Papai Noel que seu sonho é uma cesta básica para a mãe fazer a ceia natalina. Outro menino, da mesma idade, pede um peru – ave que nunca comeu na vida. Também há meninos e meninas que querem fraldas.

“Essas cartinhas saem rapidamente. Graças a Deus, temos pessoas que se sensibilizam com essa inocência e esses pedidos singelos”, diz a presidente da instituição.

Neste ano, a pequena Ana Vitória Barbosa, 7 anos, sonha ganhar algo que nunca teve. “Quero um patins de quatro rodas. Eu ainda não sei andar, mas vou aprender. Vai ser legal para eu equilibrar. Fui aluna destaque na minha escola e mereço ganhar um presente”, diz, com convicção.

A mãe da menina, Erica Barbosa da Silva, 26 anos, conta que a família mora no Trecho 1 do Sol Nascente e é assistida pela Fehsolna há cerca de 10 anos. “Ainda era adolescente quando comecei a frequentar aqui. Meus pais nunca tiveram condições de oferecer um presente e esse projeto sempre incentivou a gente a escrever as cartinhas para ganhar”, revela Erica.

“É muito emocionante porque ajuda quem realmente precisa. Não tenho condições de dar presentes para os meus dois filhos e, aqui, eles têm oportunidade de participar desse momento mágico que o Natal oferece”, acrescenta a mãe.

Os presentes a mais doados para a Fehsolna também recebem destino solidário. “Na verdade, não sobra. No ano passado, por exemplo, atendemos mais de 1,5 mil meninos e meninas. Levamos os presentes doados e que não demos para as crianças daqui para outras entidades parceiras que acompanham o projeto”, afirma Edilamar.

Em 2019, as doações excedentes serão distribuídas em comunidades carentes do Incra 7 e do Incra 9. Também beneficiarão crianças kalungas, em Teresina de Goiás, e da Lagoa Pato Selvagem, em Águas Lindas (ambos os municípios em Goiás).

Celebração da Fehsolna

A prioridade da Federação Habitacional do Sol Nascente é realizar a festa de Natal deste ano para a comunidade do lugar. A comemoração vai ocorrer em 21 de dezembro. “Pedimos todo tipo de ajuda. Tudo é bem-vindo. Vamos servir cachorro-quente e guloseimas. Ainda precisamos de doações para preparar os saquinhos de doces, descartáveis, refrigerante e tudo o mais pra preparar os lanches”, diz Edilamar.

Quem quiser colaborar pode entrar em contato com a federação. A entidade está localizada na Avenida P1, chácara 160, lote 1, do Sol Nascente. Doações financeiras não são a única forma de ajudar. Alimentos, livros, produtos de higiene, material escolar, tecidos, roupas, utensílios de cozinha, brinquedos e móveis em geral também são aproveitados.

Os interessados também podem acessar a página do grupo no Facebook.

Para mais informações, entre em contato pelo WhatsApp por meio destes números: (61) 98627-7152 (Elizabete) e (61) 98482-9790 (Edilamar).

Últimas notícias