Em assembleia nesta quinta-feira (02/05/2019), funcionários da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) aprovaram um indicativo de greve para o dia 9 de maio. O Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Purificação e Distribuição de Água e em Serviços de Esgotos (Sindágua) promoveu a reunião em frente à Câmara Legislativa (CLDF) a fim de pressionar os deputados distritais para ajudá-los na negociação com a empresa.

Segundo a diretora-executiva do Sindágua, Fernanda da Silva Fernandes, a categoria reivindica o cumprimento de proposta enviada pela Caesb aos trabalhadores durante as negociações da data-base. “Eles que nos encaminharam o documento, aprovamos em assembleia e depois decidiram não assinar por falta de homologação do governo. Nunca foi assim”, criticou.

Na proposta em questão, não há previsão de reajuste salarial, mas a renovação da cláusula de direitos e deveres que prevê a manutenção dos empregos dos celetistas pelos próximos dois anos. Ela também limita o número de cargos em comissão na estrutura da Caesb para dois funcionários de livre provimento a cada 100 concursados.

Na tarde desta quinta, representantes do sindicato se reuniram com os deputados para expôr a situação. Na manhã de sexta, uma comissão se encontrará com o chefe da Casa Civil, Eumar Novacki, no Palácio do Buriti.

Por meio de nota, a diretoria da Caesb informou que, na última sexta-feira, submeteu ao GDF proposta de acordo coletivo de trabalho, resultado da negociação entre a companhia e a categoria. “Na última terça-feira, o GDF fez sugestões de alteração em cláusulas do acordo. Diante disso, a diretoria vai voltar a se reunir para avaliar a pertinência da aplicação de tais modificações e apresentar nova proposta ao Sindicato”, conclui.

Metrô
Em assembleia realizada em 1º de maio, o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Metroviários do DF (SindMetrô-DF) decidiu deflagrar a greve. Durante a reunião, os dirigentes da entidade apresentaram a proposta oferecida pela empresa aos profissionais, mas ela foi rejeitada e a paralisação, que já havia sido anunciada, mantida.

Com isso, mudou o horário de funcionamento nas estações. A partir desta quinta-feira (02/05/2019), os usuários poderão usar o sistema apenas entre 5h30 e 10h30 e das 16h30 às 21h30. Aos sábados, os trens rodarão das 5h30 às 10h30 e das 14h30 às 19h30. Ficarão parados aos domingos, pelo menos enquanto durar o movimento dos funcionários.