*
 

Câmeras de prédios na Asa Sul mostram o suspeito de ter assassinado o barman Jeovani Alves dos Santos, 24 anos, logo após o crime. Jeovani morreu na madrugada do último sábado (4/11) depois de reagir a um assalto.

O rapaz aguardava um ônibus para Águas Lindas de Goiás (GO), Entorno do DF, onde mora, e foi abordado por um ladrão. Ao reagir, levou dois tiros no abdômen. Mesmo ferido, conseguiu chegar na escada que dá acesso à estação do metrô na 108 Sul.

Jeovani chegou a ser levado com vida para o Hospital de Base do Distrito Federal, mas não resistiu aos ferimentos. O caso é investigado pela 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul). Segundo informações preliminares, a vítima saiu do restaurante em que trabalhava, na 408 Sul, e foi abordada pelo bandido por volta de 0h20.

Veja vídeos do assassino:

 

A vítima era casada e tinha dois filhos. O mais novo é um bebê de apenas 3 meses. A mulher de Jeovani, Stephanye Alves da Silva, 22, fez um desabafo no Facebook:

Violência
Jeovani Alves morreu durante um fim de semana violento. Segundo dados coletados pelo Sindicato dos Policiais Civis do Distrito Federal (Sinpol-DF), o Distrito Federal registrou 11 homicídios durante o feriadão de Finados, entre os dias 2 e 5 de novembro – quinta-feira a domingo. Apenas em Planaltina, houve quatro mortos e três tentativas de assassinato. Também chamam atenção os 434 furtos de celular e 301 assaltos a pedestres.

A entidade afirmou ainda que ocorreram 15 estupros – sendo nove de adolescentes ou crianças –, sete sequestros relâmpagos, 78 roubos de veículo, 44 assaltos em paradas de ônibus e 44 furtos em residências.

De acordo com o presidente do Sinpol-DF, Rodrigo Franco, o “Gaúcho”, os números são fruto do planejamento “equivocado” da Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social (SSP). As funções das duas forças policiais estariam sendo trocadas.

Outubro sangrento
O número de homicídios no Distrito Federal registrou alta significativa no mês de outubro, segundo dados da SSP divulgados nesta terça-feira (7). Em setembro, foram 37 ocorrências contra as 52 registradas no mês passado, o que representa um incremento de 28,8%.

Quatro latrocínios (roubos seguidos de morte), contra três no mês anterior, também engrossaram as estatísticas de assassinatos na capital do país.

 

 

COMENTE

assaltoMorteAsa Sul
comunicar erro à redação