Sequestrador vendeu carro de universitária do DF por R$ 1 mil

Bandido preso nesta terça teve a ajuda de comparsas procurados pela Polícia Civil. Criminosos renderam duas mulheres na saída de faculdade

atualizado 05/11/2019 19:14

Ana Karolline Rodrigues/Metrópoles

Após sequestrar duas universitárias no dia 25 de setembro na Asa Sul, bandidos roubaram dinheiro das jovens, compraram cigarros e bebidas alcoólicas. Posteriormente, um dos acusados, André Naum Souza Santos, 32 anos, vendeu o carro de uma das vítimas, um New Fiesta branco, por R$ 1 mil; e a aliança dela, por R$ 70.

André, segundo a Polícia Civil, atuou com a ajuda de mais três pessoas. Nesta terça-feira (05/11/2019), ele foi preso pelo crime cometido quando as vítimas, uma de 33, outra de 26 anos, deixavam a instituição de ensino onde estudam, na 904 Sul. A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) agora busca os outros envolvidos.

O comparsa que abordou as vítimas com André foi identificado pelos investigadores como Júnior. Ele estava armado e ameaçou as universitárias para que entrassem no veículo.

De acordo com a delegada cartorária da 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul), Bruna Eiras, após o sequestro, os criminosos seguiram com as vítimas em direção a Santa Maria. Elas foram mantidas reféns por cerca de duas horas. Nesse período, os suspeitos usaram os cartões de crédito das mulheres para efetuar saques em caixas eletrônicos e fazer compras em lojas de conveniência e bares.

As duas foram liberadas depois, em uma zona rural. Os criminosos fugiram com os cartões, dinheiro, joias e com o automóvel de uma delas. “Eles sacaram R$ 500 de uma das vítimas. Da outra, gastaram quase R$ 3 mil em estabelecimentos com bebidas e cigarro”, destacou a delegada.

Em depoimento aos investigadores, André teria dito ainda que todos os pertences roubados já haviam sido vendidos. “A questão era mesmo patrimonial, não teve violência física ou sexual”, afirmou. “Ele nos disse que vendeu o carro por R$ 1 mil e a aliança por R$ 70”, completou.

Suspeitos

Segundo a delegada Bruna Eiras, Júnior, apontado como um dos suspeitos, é um homem negro, alto, magro e possui um sinal no rosto. “Sabemos disso de acordo com a descrição das vítimas e pedimos ajuda da sociedade para localizá-lo a partir dessas descrições”, disse.

Além deles, um homem e uma mulher são suspeitos de ter participação no crime, em um carro de apoio, um Fiat Mobi vermelho. “O terceiro suspeito é um homem conhecido como Leo Boi. Ele estava nesse outro carro com uma mulher chamada Carol. Segundo o André, ela é uma garota de programa”, contou a delegada.

Em imagens de câmeras de segurança obtidas pela polícia, André aparece acompanhado de uma mulher que os investigadores acreditam ser a suspeita. “Depois de vermos essas imagens, buscamos o nome dele em nossos sistemas e pedimos a prisão. Ele confessou, mas não quis delatar os comparsas”, pontuou a policial.

Veja:

Passagens

Preso nesta terça, André Naum possui passagens na polícia por porte de drogas e uso de moeda falsa. Segundo a delegada, após o crime, ele foi preso com outro homem em Minas Gerais, na cidade de Buritis, por esses delitos.

“Com ele, os policiais encontraram um celular que descobrimos que pertencia a uma das universitárias. Mas ele foi solto após assinar termo circunstanciado de ocorrência”, comentou.

Antes de ser preso, André e mais um comparsa tentaram outro sequestro, em 4 de outubro. Dessa vez, o crime ocorreu no Riacho Fundo, mas a vítima escapou. “Suspeitamos que esse homem que estava com ele seja o Júnior”, acrescentou Bruna.

Pelo crime contra as universitárias, André Naum responderá por roubo com restrição de liberdade com curso de pessoas e porte de arma de fogo.

Últimas notícias