Polícia prende dois integrantes de facção que matou 30 pessoas no DF

O Comboio do Cão atua em diversas regiões administrativas e controla parte do tráfico de drogas na capital do país

Divulgação/PCDFDivulgação/PCDF

atualizado 12/09/2019 19:37

A 23ª Delegacia de Polícia (P Sul) prendeu, na tarde desta quinta-feira (12/09/2019), dois homens suspeitos de integrar uma facção criminosa conhecida como Comboio do Cão.

Os suspeitos, chamados Chaves e Buiú, foram detidos na QNP 22, em Ceilândia Sul, com grande quantidade de cocaína pura, prensa hidráulica, balanças de precisão, cordão de ouro, dinheiro em espécie e munições de pistola 9 milímetros.

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) denunciou 49 membros da quadrilha que atua em diversas regiões administrativas e também dentro do sistema prisional. Além de comandar o tráfico de drogas, a CDC é responsável por crimes como rufianismo, roubos e diversos homicídios qualificados.

Estima-se que a organização seja responsável por, ao menos, 30 assassinatos consumados ou tentados entre 2013 e 2019 no DF, a maior parte no contexto de guerra com outros grupos. Os processos correm em segredo de Justiça.

Códigos de conduta

O CDC tenta implementar métodos de disciplina e códigos de conduta. Um exemplo constatado pela PCDF foi a criação de um “tribunal do crime” que consiste no julgamento de integrantes que descumpriram as regras impostas pelas lideranças.

Enquanto o PCC predomina nas regiões administrativas de Planaltina, São Sebastião, Paranoá, Ceilândia e Samambaia, o Comboio do Cão age no Gama, Santa Maria, Recanto das Emas e Riacho Fundo. 

Últimas notícias