PMDF quer comprar 200 bafômetros por R$ 12,9 mil a unidade

Corporação anunciou pregão eletrônico para aquisição dos aparelhos e valor unitário chamou atenção

Rafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 19/02/2020 12:21

A Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) abriu licitação para a compra de 200 novos bafômetros. De acordo com publicação do Diário Oficial do DF (DODF) dessa terça-feira (18/02/2020), o valor estimado dos equipamentos é R$ 2.594.462.

Na prática, significa que cada aparelho está orçado em R$ 12,9 mil. O valor chama atenção após compra recente de etilômetros com sensores eletroquímicos, que identifica células etílicas, realizada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), em maio de 2019.

Na ocasião, a PRF adquiriu seis equipamentos batizados de iBlow, capazes de identificar a alcoolemia no hálito exalado pelo condutor em instantes, custando R$ 2,7 mil cada.

O gasto também destoa de aquisições de corporações e departamentos de trânsito de outras unidades da Federação. Em São Paulo, por exemplo, a Polícia Militar gastou R$ 2,3 milhões na compra de 410 etilômetros – R$ 5.680 cada.

Segundo o governo do estado, o preço unitário ficou abaixo do valor de mercado praticado, que era R$ 6,5 mil. No Paraná, as unidades compradas saíram por R$ 8.570,29.

O coronel Alexandre de Souza Oliveira, chefe da Comunicação da PMDF, explicou que não há como fazer comparações entre os valores, uma vez que o modelo que a corporação brasiliense quer adquirir é mais moderno do que o da PRF.

De acordo com ele, trata-se de um equipamento que “vai além da checagem passiva”. Segundo o militar, o etilômetro que a Polícia Militar vai comprar também faz a checagem ativa, permitindo, inclusive, a autuação por alcoolemia sem a necessidade de outras provas.

Segundo a corporação, o aparelho da PRF constata a presença de álcool no ar; porém, não é apto para medir o teor alcoólico ingerido pelo condutor, sendo necessário usar outro equipamento para atestar o teor alcoólico para uma possível notificação ou prisão. Já o equipamento alvo do pregão da PMDF é capaz de realizar a medição sem que seja necessário grande esforço do condutor ao assoprar o bocal do etilômetro.

Ele ressaltou, ainda, que os atuais equipamentos da PMDF têm 14 anos de uso e precisam ser “renovados”.

Valores de mercado

A PMDF informou que se pauta em “valores disponíveis no mercado” e que o preço final publicado no Diário Oficial inclui “impostos, taxas, tributos e quaisquer outras despesas que incidam ou venham a incidir sobre o objeto da licitação”. “Ressalta-se que no pregão será escolhida a proposta que apresentar o menor preço”, acrescentou.

Ainda não há previsão de quando os etilômetros serão colocados em circulação. No entanto, as empresas interessadas em participar do pregão eletrônico têm até 4 de março para apresentar propostas.

Veja o DODF:

DODF/Reprodução

Veja o como funciona o iBlow, adquirido pela PRF :

Últimas notícias