PCDF encontra ossada de mulher, perna de homem e soluciona três mortes

Criminosos foram presos nesta quinta-feira (26/4), após assassinatos cometidos entre dezembro e janeiro, em Taguatinga Sul

atualizado 26/04/2018 21:09

Material cedido ao Metrópoles

A Polícia Civil prendeu, nesta quinta-feira (26/4), dois homens acusados de três assassinatos na região da Boca da Mata, entre Taguatinga Sul e Samambaia. Os crimes ocorreram entre dezembro de 2017e janeiro deste ano. O caso foi solucionado graças a imagens de câmeras de segurança, que registraram uma das mortes, e a descoberta da ossada de uma das vítimas em um matagal.

Agentes da 21ª Delegacia de Polícia Civil (Taguatinga Sul) começaram a investigar a autoria das mortes após terem acesso a um vídeo no qual três suspeitos perseguem um homem e o matam com 159 facadas.

Os agressores foram identificados como os catadores de material reciclável Marcelo Augusto dos Santos Silva, 25; Reginaldo Augusto de Laura, 21; e Tiago Almeida da Silva, 21. Eles mataram Maurilio da Rosa dos Santos Júnior, 29.

Durante as investigações, os agentes descobriram que a esposa de Maurilio, Raquel Rodrigues do Santos, 32, havia desaparecido em 13 de dezembro passado. Ela foi morta naquele mesmo dia, em uma barraca atrás de dois hipermercados no Pistão Sul.

“Nos finais de ano, aquela região fica cheia de pessoas que vêm de outros estados para pedir doações no DF. Era o caso da vítima. Depois de matá-la, os assassinos a colocaram dentro de um saco plástico e a levaram em uma kombi até a Boca da Mata, onde a enterraram em uma cova”, contou o delegado-chefe da 21ª DP, Raimundo Vanderly de Alves Melo.

A ossada de Raquel foi encontrada em 10 de janeiro. A mulher só foi identificada porque, como os criminosos a colocaram dentro de um saco, as impressões digitais foram preservadas.

 

Restos mortais
Ao lado do cadáver de Raquel, foi encontrada uma perna. O membro era de Tiago Almeida da Silva, apontado como um dos assassinos da mulher e do marido dela, Maurilio. O corpo foi identificado graças a uma tatuagem.

Segundo as investigações, Tiago foi morto como “queima de arquivo”, pois estava comentando o assassinato do casal com outros catadores.

O corpo dele foi esquartejado a golpes de facão, e os pedaços foram encontrados em diferentes locais. “Como temos um banco com imagens de marcas em criminosos, reconhecemos a tatuagem”, conta o delegado Raimundo Vanderly.

Segundo Vanderly, os crimes foram motivados por ciúmes. Um dos assassinos teria um caso com Raquel. Quando Maurilio descobriu, se desentendeu com o criminoso e acabou morto. Raquel foi executada em seguida.

0

Últimas notícias