*
 

O sequestro e o assassinato de um fazendeiro em Tocantins foi desvendado por policiais da Divisão de Repressão a Sequestros (DRS), da Polícia Civil do DF, em uma investigação conjunta com a Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic) de Palmas. Durante a Operação Reencontro, dois homens foram presos na última sexta-feira (1°/9). Um deles estava escondido em uma casa no Recanto das Emas. O outro foi preso no município tocantinense de Taguatinga.

As investigações tiveram início no dia 23 de agosto, após uma das filhas de Antônio Lázaro Assalin, 74 anos, informar que o pai estava desaparecido há mais de uma semana. De imediato, os policiais foram até a fazenda onde o pecuarista morava, mas não encontraram sinais de arrombamento na casa. No entanto, havia uma pequena mancha de sangue próximo à porta.

A vítima foi rendida e sequestrada quando deixava sua fazenda, em 13 de agosto deste ano. Valdinei Cordeiro da Silva, 30, e Jonatan Francisco Assunção, 32, confessaram ter executado o fazendeiro com um tiro na cabeça, usando uma espingarda. O alvo era roubar cerca de R$ 20 mil que o pecuarista havia ganhado com a venda de 60 cabeças de gado. A dupla usou uma motocicleta furtada para sequestrar o idoso e o levou para uma gruta localizada em uma zona rural próxima à fazenda.

Reprodução/PCDF

Valdinei Cordeiro da Silva, um dos executores do fazendeiro, estava escondido em uma casa no Recanto das Emas

 

Saques bancários
Já preso, Valdinei contou como ele e o comparsa agiram quando estavam em poder do fazendeiro. Enquanto Jonatan manteve o pecuarista sob a mira da arma, Valdinei seguiu para a cidade de moto, em posse dos cartões bancários da vítima. Ele tentou efetuar saques, mas não conseguiu. Usando a opção de crédito do cartão, o criminoso comprou peças para a moto e retornou para o local do cativeiro.

Em seguida, o fazendeiro foi colocado de joelhos e executado. Seu corpo foi jogado em uma vala próximo à gruta onde era mantido pelos criminosos.  Nos dias que se passaram, familiares do pecuarista constataram movimentações no cartão bancário da vítima, sendo que ele nunca havia utilizado a modalidade crédito. Verificou-se, então, uma compra realizada em uma loja de eletrodomésticos na cidade de Luís Eduardo Magalhães, na Bahia.

De acordo com o delegado da DRS, Leandro Ritt, após o crime, os dois sequestradores se separaram. Jonatan permaneceu em Tocantins e Valdinei veio para o DF, onde se hospedou na casa da irmã de seu comparsa.

“Identificamos que o Valdinei mantinha uma relação amorosa com essa mulher e pediu para ficar na casa dela. Ao prendê-lo, ele confessou o crime. O suspeito estava com a arma usada para matar Antônio, o cartão da vítima e documentos falsos”, disse o delegado.

Jonatan e Valdinei foram indiciados pela prática dos crimes de extorsão qualificada que resultou em morte, roubo por emprego de arma de fogo, falsificação de documento público e particular, além de ocultação de cadáver. Somadas, as penas chegam a 30 anos de prisão. Os dois foram recolhidos à Cadeia Pública de Taguatinga (TO), onde aguardarão julgamento.

 

 

COMENTE

sequestrodrsTocantinsfazendeiro
comunicar erro à redação

Leia mais: Segurança