PCDF desarticula grupo especializado em fraude e furto de veículo

Durante o cumprimento dos mandados judiciais, os policiais flagraram um esquema paralelo de jogo do bicho

atualizado 09/04/2020 12:53

pcdfPCDF/Divulgação

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) deflagrou a Operação Xeque-Mate para desarticular um sofisticado esquema de fraude e furto de veículos. Investigadores cumpriram mandados de prisão temporária, busca e apreensão e sequestro de valores depositados em duas contas correntes. A investigação é da Coordenação de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Corpatri).

A ação ocorreu na noite dessa quarta-feira (08/04). As apurações tiveram início a partir de relatos de vítimas de carros furtados que não conseguiam obter o valor do seguro. Isso porque, após os furtos, os carros eram repassados a terceiros e constavam nos sistemas como veículos regulares. Sendo assim, as seguradoras não aceitavam o sinistro e negavam o pagamento.

Durante as diligências, foi identificado um esquema de furtos e fraudes. Ficou constatado que os criminosos usavam procurações falsas para obter as segundas vias dos DUTs dos veículos furtados e, com isso, conseguiam revender de forma “regular” os carros a terceiros de boa-fé.

“Ninguém percebia a irregularidade do veículo que passava, inclusive, por vistoria no órgão de trânsito e acabava sendo “regularmente” transferido ao comprador. As procurações falsas eram confeccionadas em um Cartório do Interior da Bahia”, detalhou o delegado Erick Sallum.

​A investigação identificou ao menos quatro veículos que foram furtados e revendidos por meio do esquema. Dois foram recuperados e restituídos aos verdadeiros proprietários. Os compradores acabaram tendo de suportar o prejuízo.

“​Com a prisão do líder do esquema e a partir do material apreendido em sua casa, a investigação avança com o objetivo de descobrir se há envolvimento doloso do cartório da Bahia. Os valores sequestrados nas contas dos criminosos representam uma garantia de que as vítimas possam ter seu prejuízo pelo menos diminuído”, ressaltou o delegado.

​No mesmo endereço de cumprimento do mandado de prisão funcionava um ponto de jogo do bicho, razão pela qual os apostadores também foram presos e todo o material apreendido. Havia, inclusive, uma máquina de cartão de crédito.

Últimas notícias