*
 

Uma mulher ficou ferida durante assalto a um ônibus na QNP 10, em Ceilândia. O crime ocorreu por volta das 7h30 deste sábado (7/4). De acordo com a Polícia Militar, dois homens entraram no coletivo e começaram a recolher os pertences dos passageiros. No momento em que foram retirar a bolsa de uma mulher que estava cochilando, ela se assustou e puxou a sacola. O assaltante reagiu e efetuou um disparo em direção à cabeça dela.

A passageira acabou sendo atingida de raspão no rosto. A mulher foi encaminhada ao Hospital Regional de Ceilândia e liberada. A ocorrência foi registrada na 23ª Delegacia de Polícia (Ceilândia).

Testemunhas informaram que os dois homens seguiram em direção ao Pôr do Sol. A PM segue realizando as buscas para localizar os suspeitos.

Memória
Em março, também em Ceilândia, uma mulher morreu após ser atropelada na avenida Elmo Serejo, no P Sul. Ela tentava fugir de um assalto dentro do coletivo onde estava. Moradora do Pôr do Sol, na mesma cidade, a auxiliar de limpeza Claudineia Oliveira Teixeira, 37 anos, seguia para o trabalho, na L2 Sul, quando dois criminosos entraram no veículo. Imediatamente, exigiram que as vítimas passassem os celulares. Imagens do sistema de câmera de segurança do coletivo filmaram o assalto.

 

O vídeo mostra passageiros em pânico. Desorientados, eles correram pelo ônibus. As imagens exibem também uma mulher que passou mal e desmaiou no coletivo. Ela foi acudida por outra passageira e recobrou a consciência segundos depois, mas ficou apavorada, pois, naquele momento, os bandidos ainda agiam. Um deles, inclusive, caminhou armado pelo corredor do veículo. Os criminosos foram identificados e presos pela Polícia Civil.

Na véspera da Páscoa, mãe e filha foram lançadas para fora do ônibus por ladrões quando a menina, de apenas oito anos, se recusou a entregar o ovo de chocolate a ele.

Uma testemunha do acidente postou no Facebook um relato sobre o episódio. “Ontem, presenciei uma cena de calamidade… Escutei um pedido de socorro e, quando cheguei ao local, encontrei uma mãe e uma menina de 8 anos caídas na pista muito machucadas, havia muito sangue”, escreveu a jovem.

“A menina ficou com escoriações por todo o corpo, um ferimento grave na cabeça, nariz sangrando e não conseguia se lembrar de nada. Questionava a cada cinco minutos o que havia acontecido. Sua mãe, também muito machucada, ficou com o joelho rasgado e pernas e braços arranhados”, diz trecho do post.

Dados
Segundo o último balanço divulgado pela Secretaria de Segurança do Distrito Federal, em março deste ano foram registradas 178 ocorrências, média de cinco por dia. Nos três primeiros meses do ano, foram 483 casos.