Mochila suspeita no Clube do Exército mobiliza esquadrão antibombas

Equipe do Batalhão de Operações Especiais (Bope) fará raio-x para definir estratégias a serem adotadas

atualizado 02/01/2019 19:23

CBMDF/Reprodução

Uma mochila suspeita de conter explosivos mobilizou equipes do Esquadrão Antibombas do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar, investigadores da Polícia Civil e servidores do Corpo de Bombeiros. O objeto foi abandonado por volta das 17h desta quarta-feira (2/1), no Clube do Exército (SCES Trecho 2).

Momentos antes, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) esteve no local para a cerimônia de posse do novo ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva.

A operação para identificar um possível artefato terminou por volta das 19h, após a realização de um raio-x na mochila. Nos compartimentos da bolsa, conforme informou a Polícia Militar, havia um notebook e material para a instalação de internet.

Ameaça terrorista
Uma tentativa de atentado na madrugada do Natal (25/12) pôs as forças de segurança em alerta. Em 25 de dezembro, o Bope foi chamado para atender uma ocorrência de suspeita de bomba ao lado da Igreja Santuário Menino Jesus, na Quadra 2/4 de Brazlândia. O grupo Sociedade Secreta Silvestre assumiu a autoria.

Informações da Polícia Civil apontam que a bomba teria pelo menos 5kg de pólvora. “A perícia acredita que o acionamento falhou. Ela tinha até mesmo um relógio com data e hora certa para detonação”, afirmou uma fonte ao Metrópoles. Peritos reconheceram similaridades entre esse artefato e outro encontrado recentemente, nas proximidades da Rodoviária do Plano Piloto.

Últimas notícias